Qual é o melhor smartwatch para monitorar seu sono?

Por Bruno Bertonzin | Editado por Léo Müller | 28 de Novembro de 2022 às 17h05

clique para compartilhar

Link copiado!

Garmin Fenix 6 Pro Solar
ver mais

Os modelos de smartwatches mais atuais estão cada vez mais completos e uma das funcionalidades que a maioria deles oferece é o monitor de sono. Com esse recurso, o usuário recebe na tela do relógio (e do celular) um gráfico detalhado, muitas vezes com as fases do sono e outros dados importantes coletados durante a noite.

Isso já é um recurso bem comum e, de todos os relógios que testei nos últimos meses, a maioria conta com a funcionalidade. Alguns mais completos, outros mais discretos, o fato é que todos têm um monitor de sono integrado.

O problema é que alguns modelos, apesar de serem muito completos em outras funcionalidades, deixam um pouco a desejar no monitoramento de sono. Ou pelo menos foi isso que reparei ao comparar os dados registrados por vários modelos.

Quando usei o Huawei Watch GT 3 — um dos modelos mais avançados da empresa chinesa e um dos melhores no mercado — notei que o resultado obtido nele era bem discrepante em relação a outros modelos que já havia testado.

Com isso, decidi expandir a análise para mais modelos e fazer uma comparação mais aprofundada do monitor de sono presente em vários relógios inteligentes. Dessa forma, tive um panorama maior para sugerir qual é a melhor opção para você comprar se busca algo para registrar seus dados durante a noite.

É importante destacar que esses relógios não são, necessariamente, os melhores em um conjunto geral, mas trabalham melhor para monitorar o sono.

Modelos analisados e método de comparação

Para essa análise, comparei os dados dos principais relógios inteligentes das maiores fabricantes disponíveis no mercado: o Amazfit GTR 3 Pro e Amazfit GTS 3, o Huawei Watch GT 3, o Galaxy Watch Active, o Apple Watch Series 7. Também usei modelos mais profissionais, como o Garmin Instinct 2 e o Garmin Fenix 6 Pro Solar.

Eu não tive a oportunidade de testar o vestível pessoalmente, mas também juntei à lista os registros feitos pelo Galaxy Watch 4 do meu colega Felipe Junqueira — analista de produtos aqui no Canaltech —, que usa o dispositivo em seu dia-a-dia.

Para ter um parâmetro sobre a confiabilidade dos resultados, usei dois relógios por noite, um em cada braço e inverti suas posições na noite seguinte para obter os dados dos dois pulsos.

Dessa forma, pude atestar que determinados modelos são mais fiéis ao gravar os dados de sono, enquanto um aparelho mais específico teve resultados mais discrepantes, no caso o Huawei Watch GT 3. Mas falarei mais sobre isso mais para frente.

Garmin Fenix 6 Pro Solar e Garmin Instinct 2

Esses são os modelos que eu mais gostei de testar e usar para monitorar o sono e, certamente, classifico eles como as melhores opções se você procura algo que te atenda bem nesse sentido.

É importante frisar bem, no entanto, a faixa de preço destes dispositivos. Por serem relógios mais voltados para um uso profissional, especialmente para atletas que querem métricas mais precisas sobre atividades físicas, eles têm um preço bem salgado.

O Garmin Fenix 6 Pro Solar, por exemplo, custa a partir de R$ 8.000 e pode ultrapassar tranquilamente a casa dos R$ 10.000. O Instinct 2 é mais “em conta”, mas passa dos R$ 5.000. Preços a parte, vou explicar porque defini eles como a melhor escolha para monitoramento de sono.

Os relógios da Garmin são os que monitoram mais informações durante o sono. Além do tempo de sono leve, sono profundo e sono REM — que quase qualquer relógio identifica — ele também mostra como foi a variação da oximetria de pulso e a taxa de respiração durante a noite.

Outro dado importante é sobre o tempo em que o usuário passou inquieto ou acordado durante a noite. Dessa forma, é possível ter um controle maior da saúde do sono e saber o quanto você se agita durante a noite, mesmo que não desperte completamente.

Amazfit GTR 3 Pro e Amazfit GTS 3

Se for para escolher o melhor smartwatch para monitorar seu sono por um preço que não assuste tanto o bolso, os modelos da Amazfit são as melhores opções.

Nos últimos meses eu testei dois modelos de relógios inteligentes da marca: o Amazfit GTR 3 Pro e o Amazfit GTS 3. Ambos oferecem basicamente os mesmos recursos para monitoramento de sono e, apesar de o GTR 3 Pro ser superior, os dois atendem igualmente neste quesito.

Além das tradicionais fases do sono — leve, REM ou profundo — os vestíveis permitem monitorar qual foi a taxa de respiração e a frequência cardíaca do usuário durante o sono. Além disso, o relatório também alerta se houve dificuldades respiratórias durante a noite e se esse nível é alarmante para a saúde.

Apesar de serem modelos mais acessíveis, ambos oferecem resultados mais completos do que a linha Galaxy Watch 4, da Samsung, que oferece sensores mais precisos para monitoramento de saúde.

Como eu disse, a faixa de preços deles é mais acessível: o Amazfit GTS 3 é vendido entre R$ 1.200 e R$ 1.300, enquanto o Amazfit GTR 3 fica entre R$ 1.200 e R$ 1.700.

Galaxy Watch Active e Galaxy Watch 4

Eu testei apenas o Galaxy Watch Active, mas também coletei os dados do Galaxy Watch 4 do analista de produtos do Canaltech Felipe Junqueira. Pela experiência dele com este e outros smartwatches, o modelo é bem fiel no monitoramento e entrega dados compatíveis com outras análises feitas.

Eu quero frisar, no entanto, que apesar de serem modelos mais avançados e que oferecem métricas mais completas de monitoramento — como ECG, por exemplo — a quantidade de dados obtidos durante o sono não é tão completa quanto os Amazfit ou Garmin.

De qualquer forma, os vestíveis da gigante sul-coreana podem registrar o nível de saturação de oxigênio no sangue e até informações sobre o ronco — além, é claro, das mesmas fases do sono que os outros modelos citados até agora.

O Galaxy Watch Active já foi descontinuado pela Samsung e é raro encontrá-lo no mercado, mas o Galaxy Watch 4 é vendido por preços a partir de R$ 900.

Huawei Watch GT 3

Este foi o modelo que me inspirou a fazer essa análise. O Huawei Watch GT 3 é um dos flagships da empresa chinesa e um dos melhores do mercado para acompanhar sua saúde e atividades físicas.

E, para quem nunca usou outros smartwatches ou não tem o costume de acompanhar o ritmo de sono, pode parecer que também está entre os melhores para esse monitoramento, mas não foi o que eu notei durante o uso.

Isso porque os resultados obtidos por ele foram bem discrepantes em relação a qualquer outro smartwatch ou smartband que testei ultimamente. Enquanto qualquer relógio me mostrava uma média de 40 a 60 minutos de sono profundo, ele passava de duas horas e, às vezes, quase chegava a três.

A divergência nos números também se repetiu nos resultados de sono leve e REM. Na verdade, o relatório da Huawei mostrou números mais aproximados de sono profundo e leve, enquanto o REM ficava mais baixo. Em comparação, os outros relógios analisados não identificaram dessa forma e tiveram dados mais compatíveis entre si.

Destaco, no entanto, que esse pode não ser necessariamente um defeito do Huawei Watch GT 3 — ou de outros relógios da marca. É possível que a forma que ele faz o rastreamento do sono seja diferente dos concorrentes. No entanto, se quer algo mais preciso, é indicado optar por um modelo que tenha dados mais de acordo com outros wearables da mesma categoria.

O Huawei Watch GT 3 tem uma faixa de preço que varia de R$ 1.700 a R$ 1.900.

Apple Watch Series 7

Até pouco tempo atrás os relógios inteligentes da Apple, o Apple Watch, não era um dos mais indicados quando o assunto era o monitoramento de sono. Apesar de serem os melhores para rastrear vários aspectos da saúde, os dispositivos pecavam bastante por não identificar quanto tempo durou cada fase do sono.

Isso mudou com a nova versão do sistema operacional para os vestíveis liberado pela Maçã — o watchOS 9. Agora, os smartwatches da Gigante de Cupertino oferecem um monitoramento bem parecido com o dos rivais, que identifica detalhadamente cada fase do sono.

Nos Apple Watch, as etapas são divididas em sono REM, sono profundo e sono essencial — que é a fase mais leve do nosso descanso noturno. Além disso, naturalmente, o relógio identifica quando o usuário acordou pela noite e também grava o tempo que ficou desperto.

No aplicativo Saúde — que é instalado no iPhone — o usuário também pode adicionar uma meta de horas para dormir e, com isso, consegue ter um controle maior sobre o horário que deve ir pra cama e que deve acordar. O Apple Watch inclusive avisa quando chega esse horário e limita algumas funções do dispositivo para evitar distrações caso queira.

Por fim, ele também verifica constantemente durante o sono como foi o nível de batimento cardíaco e a frequência respiratória à noite, para que o usuário possa saber se houve alguma variação anormal.

O único problema é que em alguns momentos pode haver algumas inconscistências, como no exemplo que usei acima. Na imagem é possível ver que eu passei 8h11 dormindo e 7h01 na cama — o que não faz muito sentido. Isso indica que ainda é preciso um trabalho mais dedicado do sistema do relógio para identificar o sono.

É importante destacar que tanto o Apple Watch Series 7 quanto o Apple Watch Series 8 — ou até mesmo outros modelos que tenham recebido o watchOS 9 — contam com este suporte, então não é preciso optar pelo modelo mais caro caso este seja o propósito principal para você usar um Apple Watch.