iPhone dobrável pode ter tela que se conserta sozinha

iPhone dobrável pode ter tela que se conserta sozinha

Por Vinícius Moschen | Editado por Wallace Moté | 20 de Setembro de 2022 às 16h41
MacRumors

Rumores de que a Apple estaria trabalhando em um iPhone dobrável já são circulados há alguns anos, e novas patentes registradas pela marca mostram possíveis características deste dispositivo. A documentação faz referência a componentes que “se curam sozinhos”, especialmente na tela, remetendo ao que fez a LG com seu conceitual G Flex, que trazia tal característica na parte traseira.

Patente cita tela com três partes: duas rígidas, e uma flexível no meio (Imagem: Apple Insider)

A patente é intitulada “Dispositivos Eletrônicos com Camadas de Cobertura de Display Flexível”, e tem como objetivo minimizar danos nestes painéis. Além disso, a tela seria capaz de corrigir imperfeições vistas em aparelhos concorrentes, como vincos e riscos menos profundos.

De acordo com a patente, o display do iPhone dobrável seria composto por três partes principais: duas rígidas, e uma flexível que uniria as duas pontas na altura da dobradiça. Portanto, seria possível manter um alto nível de resistência por boa parte da tela.

Mesmo que tenha 147 referências e 11.000 palavras relacionadas ao mecanismo de “conserto automático”, a patente ainda não dá tantos detalhes de como a tecnologia funciona. De forma resumida, ela explica quais seriam as capacidades de um componente do tipo, mas não como estes resultados seriam alcançados em um produto comercial.

“A manutenção aconteceria sem a necessidade de intervenção externa: por exemplo, quando uma porção estiver amassada, o material de revestimento pode preencher o dano automaticamente.”

Tela do iPhone dobrável pode ter material mais elástico

iPhone dobrável ainda não tem data de lançamento definida (Imagem: Apple Insider)

A Apple propõe que este material tenha uma camada de elastômero, ou seja, uma substância com propriedades elásticas. Desta forma, ela seria capaz de voltar ao seu formato original, quase como uma espuma de memória presente em fones de ouvido ou colchões.

A princípio, este tipo de material fica mais flexível quando exposto a uma fonte de calor. Um componente extra poderá ser responsável por isso, mas também há a possibilidade de o celular aproveitar o aquecimento do carregamento da bateria ou do próprio funcionamento do aparelho.

A documentação não diz respeito especificamente aos iPhones, já que também cita produtos como notebooks, ou mesmo itens bem mais compactos como relógios ou outros acessórios vestíveis.

Ainda não é possível afirmar se essa tecnologia será efetivamente utilizada em um suposto iPhone dobrável, já que patentes também podem servir apenas como um aparato jurídico contra marcas concorrentes. De qualquer forma, também não se sabe quando tal dispositivo será apresentado pela Apple.

Fonte: Apple Insider

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.