Comparativo Redmi Note 11 x Realme 9i | Qual Snapdragon 680 é melhor?

Por Bruno Bertonzin | Editado por Léo Müller | 04 de Março de 2022 às 09h09

clique para compartilhar

Link copiado!

Redmi Note 11 4G
ver mais

O Realme 9i foi apresentado pela empresa chinesa como o primeiro a ser equipado com o Snapdragon 680 no país. Mas o título de primeiro smartphone com esse chipset no mundo pertence à Xiaomi, com o Redmi Note 11. Essa não é a única similaridade entre os dois e, portanto, resolvemos fazer um comparativos com esses modelos.

Afinal, qual vale mais a pena? O modelo que já temos por aqui em nosso mercado ou a alternativa da Xiaomi? Vale destacar que esta última é mais conhecida por entregar um excelente custo-benefício. Dito isso, será que a Realme já está pronta para disputar o mercado brasileiro?

Confira este comparativo e veja qual o modelo que pode te agradar mais e entregar mais vantagens para o uso no dia-a-dia.

Design e Construção

Ambos os modelos contam com acabamento em plástico na traseira. Essa já é uma estratégia adotada por praticamente todas as fabricantes para reduzir os custos de modelos mais avançados.

Como falamos de dois intermediários, nada mais natural do que utilizar uma construção mais simples para manter o preço baixo.

Outra coisa em comum é que os dois modelos incluem um bloco de câmeras traseiras que dá um ar mais sofisticado. Dessa forma, apesar do acabamento estético simples, tanto o Realme quanto o Redmi passam a impressão de um telefone premium.

O Redmi Note 11 tem um módulo com quatro sensores — um principal no topo, centralizado, enquanto os outros três formam um quadrado juntos ao flash. Já o Realme 9i tem apenas um trio de lentes, mas o arranjo triangular delas também dá um tom agradável ao painel traseiro.

Em termos de ergonomia, o celular da Xiaomi leva a melhor. Não entro no mérito de ser melhor uma tela maior ou menor, mas ele é ligeiramente mais fino e bem mais leve.

Enquanto o Redmi Note 11 tem dimensões de 159,87 x 73,87 x 8,09 mm com 173 gramas, o Realme mede 164,4 x 75,7 x 8,4 mm e pesa 190 gramas.

Isso certamente contribui bastante para realizar tarefas com apenas uma mão com mais conforto e menos risco de derrubar o aparelho.

O Redmi Note 11 também leva vantagem por ter construção com certificação IP53. Ela não é das melhores para resistência à água, mas resiste a alguns respingos. Certamente é melhor do que certificação alguma.

Tela

Mais uma vez o Redmi Note 11 se sobressai em relação ao adversário, dessa vez por oferecer uma tecnologia mais avançada para a tela, já que conta com um display AMOLED, ao passo que o Realme 9i tem um IPS LCD.

Em comum, ambos contam com uma taxa de atualização de 90 Hz. Isso garante uma fluidez maior durante a navegação, principalmente em jogos.

O Realme tem o painel um pouco maior — são 6,6 polegadas contra 6,43 do Redmi. Mas não chega a ser tão perceptível para valer um ponto.

Já a resolução do Xiaomi é de 1080 x 2400 pixels com densidade de 400 ppi, enquanto o Realme é de 1080 x 2412 pixels com 409 ppi. Essa ligeira vantagem é reflexo do display maior no Realme.

Outra vantagem do Redmi Note 11 é a presença do display com proteção Gorilla Glass 3, enquanto seu rival, mais uma vez, não oferece garantia de resistência.

Configuração e Desempenho

Em desempenho, ambos podem oferecer basicamente a mesma performance. Isso porque, além de contarem com a mesma plataforma móvel — o Snapdragon 680 4G — eles também têm opções parecidas de memória RAM e armazenamento.

A versão do Realme 9i que recebemos em nosso país é apenas a que oferece 6 GB de RAM com 128 GB de armazenamento, mas, lá fora, ainda existem variantes com 4 GB de RAM e 64 GB de espaço.

O Redmi Note 11, por sua vez, ainda não chegou em nosso país, mas o modelo global já conta com 64 ou 128 GB de memória + 4 ou 6 GB de RAM.

No geral, as edições mais completas contam com configuração o suficiente para salvar bastante arquivos na memória e ainda oferecem um bom desempenho para jogos e para aplicativos de redes sociais.

Em games mais pesados talvez seja necessário reduzir a qualidade gráfica, mas nada que atrapalhe a experiência de uso.

Em conectividade, o Realme perde mais uma vez por não dar ao usuário a opção de realizar pagamentos por aproximação, já que não conta com a tecnologia NFC, que está presente no rival.

No mais, os dois possuem conectividade Wi-Fi com bandas a/b/g/n/ac e isso permite atingir maiores velocidades de navegação na internet fixa. A rede móvel, porém, é limitada apenas ao 4G nos dois — reflexos do chip Snapdragon 680 4G, claro.

Usabilidade

Quem procura um aparelho com um sistema operacional mais atrativo certamente vai gostar mais do Redmi Note 11. Ambos estão com o Android 11 instalado, mas o celular da Xiaomi conta com a interface da MIUI 13 — o que dá um visual mais agradável para as telas e menus do celular.

O Realme, por sua vez, aposta em uma interface mais limpa, com poucas modificações. Isso deixa ela bem parecida com o que o Android oferece de forma nativa, mas tem, como consequência, algumas limitações.

No Realme 9i, por exemplo, não é possível customizar tanto o sistema quanto no Redmi. Portanto, nada de temas, pacotes de ícones e opções mais avançadas.

Você até pode alterar o esquema de cores e o formato dos ícones, mas não foge muito de uma paleta de cores e opções já pré-definidas.

O Redmi também conta com o Centro de Controle da MIUI, que permite gerenciar algumas funções — como Wi-Fi, rede móvel, Bluetooth e Lanterna — de forma rápida e separada da área de notificações. Isso deixa a interface mais agradável de se mexer.

Câmera

O conjunto de câmeras também é mais encorpado no Redmi Note 11. Enquanto o celular da Realme apresenta um trio com uma lente principal de 50 MP, uma de profundidade de 2 MP e uma macro de 2 MP, o Xiaomi conta com essa mesma configuração, mas acrescenta um sensor ultrawide de 8 MP.

Isso certamente dá mais versatilidade ao aparelho na hora de fotografar e pode agradar bastante os usuários que gostam de fotografar paisagens, por exemplo, já que essa lente possui um campo de visão maior para incluir mais itens presentes no cenário.

Já se falarmos em selfies, o Realme 9i leva uma pequena vantagem. Sua câmera frontal oferece uma resolução maior, de 16 MP com abertura f/2.1, enquanto o Redmi tem um sensor de 13 MP f/2.4.

Para gravação de vídeo, ambos oferecem filmagem com resolução Full HD a 30 fps, mas o Realme 9i é um pouco melhor por contar com estabilização para as gravações.

Em termos gerais, ambos oferecem uma qualidade de imagem aceitável dentro do segmento intermediário. Não trazem fotografias com qualidades excelentes, mas não deixam a desejar frente a outros concorrentes. Confira, abaixo, algumas fotografias tiradas com cada um deles.

Fotografias tiradas com o Redmi Note 11:

Redmi Note 11 modo retraro

Jucyber/Canaltech

Fotografias tiradas com o Realme 9i:

Câmera principal - Realme 9i

Bruno Bertonzin/Canaltech

Sistema de Som

Em relação ao sistema de som não há muito o que comparar, já que tanto o Redmi Note 11 quanto o Realme 9i possuem configuração de áudio estéreo com duas saídas para reprodução de mídia.

O Redmi oferece uma sonoridade melhor, mesmo em volumes mais altos, enquanto o Realme tem um pouco de distorção no nível máximo. No geral, porém, ambos atendem bem para assistir filmes ou séries no alto-falante.

Bateria e Carregamento

A capacidade da bateria e o poder de carregamento dos dois celulares são iguais: eles possuem 5.000 mAh e têm suporte para carga de 33 W — o que permite recarregar completamente em cerca de uma hora em ambos os casos.

Nossos testes provaram que o Redmi foi um pouco mais eficiente nesse sentido e, de 0 a 100% foi preciso menos de uma hora, enquanto o Realme gastou 1h13 minutos para ir de 15 a 100%.

A análise padrão de duração da carga também revelou uma vantagem do Redmi. Uma sessão de 3 horas de reprodução na Netflix, com nível de brilho na metade em ambos os casos, tirou 14% da bateria do Redmi Note 11 e 19% do Realme 9i.

Essa diferença pode ser explicada pelo fato de o Xiaomi contar com uma tela AMOLED, que economiza mais carga se a cor preta prevalecer no display por muito tempo, enquanto o IPS LCD não tem esse benefício.

Em um uso real, porém, ambos podem ultrapassar um dia de duração com um uso moderado. É claro que isso pode variar de acordo com a forma como o smartphone é utilizado, mas é uma marca boa para os dois telefones.

Conclusão | Qual é o melhor celular com Snapdragon 680?

A Realme lançou o Realme 9i no mercado brasileiro e fez questão de enfatizar que é o primeiro celular a contar com o Snapdragon 680 no Brasil.

Antes disso, porém, a Xiaomi já havia lançado o Redmi Note 11 no mercado global O aparelho, porém, ainda não chegou oficialmente ao nosso país.

Mas as semelhanças entre os dois param no chipset e na quantidade de memória e armazenamento. De resto, o modelo da Xiaomi leva uma larga vantagem.

Ele entrega uma tela melhor, com imagens e cores mais intensas graças à tecnologia AMOLED, enquanto o Realme 9i possui um IPS LCD.

O tipo de display do Redmi também pode ser responsável por uma duração maior da bateria, principalmente se o modo escuro for ativado.

Apesar de ambos terem 5.000 mAh com suporte para carregamento de 33 W, isso pode ser útil para um desempenho melhor do celular da Xiaomi no dia-a-dia.

O conjunto de câmeras também é mais robusto no Redmi Note 11 e ele oferece uma configuração quádrupla de 50 MP + 8 MP + 2 MP + 2 MP, enquanto o Realme 9i tem um trio de 50 MP + 2 MP + 2 MP. A lente a mais no Redmi é um sensor ultrawide.

Para selfies, porém, o Realme tem mais resolução, com um sensor de 16 MP enquanto seu rival oferece 13 MP.

O preço é algo que, no momento, também pesa mais para o Redmi Note 11. Como o modelo ainda não foi lançado no Brasil, ele só pode ser encontrado em lojas que fazem a importação com valores a partir de R$ 1.500.

O Realme 9i, porém, foi lançado por assustadores R$ 2.299 em nosso país. Esse preço pode sofrer um ajuste ao longo dos próximos meses e, com isso, talvez o modelo fique mais atrativo para quem busca um celular da marca.