Review Xiaomi Mi Band 7 Pro | Seria a pulseira inteligente perfeita?

Por Jucyber | Editado por Léo Müller | 17 de Agosto de 2022 às 13h43

clique para compartilhar

Link copiado!

Mi Band 7 Pro
ver mais

A Xiaomi Mi Band 7 Pro é a versão que promete unir o que há de melhor na Xiaomi Mi Band 7 normal, mas com uma tela maior. Porém, o produto chega com algumas novidades que podem fazer sentido para quem pratica exercícios.

Como é o caso do GPS integrado que ajuda a elevar a precisão no rastreamento da posição ao longo das atividades físicas. E para tal, existem 117 exercícios que podem ser monitorados de maneira individual, inclusive debaixo d’água, graças a proteção IP68.

Entretanto, existem alguns pontos negativos que precisam ser citados com o intuito de ajudar na decisão de compra de cada usuário. Quer saber se esses “defeitos” são agravantes na hora de adquirir a fitness tracker? Então, confira a resposta — e algumas observações importantes — na análise completa.

Preço atual da Xiaomi Mi Band 7 Pro

Prós

  • Tela grande
  • Bateria com ótima autonomia
  • Opções variadas de atividades físicas
  • Pulseira confortável
  • Certificação IP68

Contras

  • Dificuldade para remover a pulseira
  • Imprecisão na leitura do sono

Design e construção

O design da Mi Band 7 Pro lembra bastante o trabalhado pela subsidiária da chinesa na Redmi Smart Band Pro. Com um visual retangular mais chamativo pelo tamanho de sua tela, o produto se torna uma pulseira inteligente com ares de smartwatch.

Sua parte eletrônica é toda em plástico, mas as laterais possuem um revestimento brilhoso no material que altera a sensação de uso do produto. Isso porque dá ao acessório a aparência de equipamento premium, como se ele fosse todo em metal.

Por não existirem botões nas laterais, todos os comandos da Mi Band 7 Pro são feitos diretamente na tela. No verso, estão os sensores de batimentos cardíacos e oxímetro, bem como as conexões para o carregamento magnético.

Uma vantagem dessa opção é que não necessita da remoção da pulseira para funcionar, e isso é algo que a Xiaomi vem trabalhando de maneira eficaz nos últimos anos. Essa parte do acessório, inclusive, é muito resistente e tem o fechamento semelhante ao de um relógio.

Com isso, é possível que a durabilidade da correia seja maior nesse dispositivo do que nas Mi Bands normais, por exemplo. Porém, é importante destacar que a remoção não é fácil, e quem não possui unhas grandes — assim como é o meu caso —, precisará de algum equipamento para fazer a troca dessa parte do aparelho, e isso cria uma inconveniência.

Além da Band 7 Pro, dentro da embalagem, está o cabo para carregamento com a conexão magnética em uma ponta e a entrada USB-A na outra. Assim, é possível realizar a inserção do carregador em qualquer equipamento que tenha entrada compatível.

Tela

A tela da Xiaomi Mi Band 7 Pro tem um painel AMOLED com cantos curvados que ajudam a melhorar a navegabilidade. O visor tem 1,64 polegadas e resolução 280 x 456 tem um aproveitamento total de 70%.

Apesar de não parecer muito, a área útil da fitness tracker é bem grande. Com isso, é possível navegar entre diferentes recursos com ícones grandes e chamativos, mas sem que sejam extravagantes de maneira negativa.

O fato de o brilho da tela ser bem alto faz com que a visualização das informações sob a luz do sol seja muito boa. Mesmo com o nível de iluminação do display no 1, é possível ver tudo com clareza e qualidade.

Na tela, é possível alterar o plano de fundo — watchface. Entretanto, a quantidade de opções presentes no aplicativo Mi Fitness é limitada, sendo possível escolher apenas entre imagens estáticas, pois não existe nenhuma que seja animada, assim como vemos nas Mi Bands compactas.

.......

Ivo Meneghel Jr/ Canaltech

Configuração e desempenho

A interface da Mi Band 7 Pro é bem parecida com a da sua versão mais simples, em pílula. Entretanto, a distribuição dos textos e ícones consegue usufruir de uma “liberdade” maior por estar em um display amplo.

Outro ponto a se destacar é a fluidez do sistema, pois o tempo de resposta para todas as ações é muito rápido. Com isso, o deslize na tela para encontrar a ferramenta desejada ou para executar uma ação é sensacional.

Ao longo dos meus testes, a pulseira inteligente recebeu diversas atualizações de firmware, e esse é um dos grandes diferenciais da Xiaomi no que diz respeito ao sistema de seus vestíveis.

O mais interessante é que a Mi Band 7 Pro resolve alguns problemas de navegabilidade que eram encontrados na Mi Band 7, como é o caso dos recursos que ficavam “escondidos” na aba ‘Mais’. Nessa smartband, é fácil acessar a todos os recursos no menu principal.

Mi Fitness

Para utilizar o vestível, é preciso sincronizar com o aplicativo Mi Fitness. Apesar de ser um produto da Xiaomi, o app utilizado para a conexão com o smartphone é o mesmo dos acessórios de sua subsidiária Redmi.

Algo que me incomodou bastante na Band 7 Pro foi o rastreamento de sono falhar diversas vezes. Ao contrário da Huawei Band 7 que marcava errado, o sensor da pulseira simplesmente não detecta o momento em que eu caio no sono da maneira padrão feita por outros produtos da marca.

Com isso, o rastreio do meu nível de descanso fica com dados imprecisos e dificulta todo o processo de coleta de informações a respeito do tempo dormindo. Esse problema pode ser isolado ou até mesmo corrigido via atualização de firmware. O importante é esperar para ver!

Acompanhamento de atividades físicas

O acompanhamento físico presente na Mi Band 7 Pro é equivalente ao visto em sua versão menor. Além disso, elas se parecem no modo de pesquisa dos exercícios, pois apenas 8 opções ficam visíveis na área principal do menu, sendo necessário acessar a outra área para encontrar o total de 117 atividades.

As práticas são divididas por categorias, e isso facilita a busca de quem faz exercícios em locais específicos. No meu caso, por exemplo, eu faço natação e já sei que encontrarei a opção ideal em ‘Esportes aquáticos’.

Para monitorar o tempo, basta selecionar a atividade e clicar em ‘Iniciar’. Entretanto, é possível que esse processo seja feito de maneira automática, caso o usuário ative a ferramenta de detecção de esporte.

Outra novidade da Mi Band 7 Pro é a opção de GPS na qual o trajeto executado em uma atividade externa é desenhado digitalmente na pulseira inteligente. Porém, o fato de o modelo que eu testei ser a versão chinesa atrapalhou essa parte da experiência por não conseguir ativar o rastreamento de rotas.

Não compre a versão chinesa

Aqui no Canaltech, nós testamos a versão chinesa da Xiaomi Mi Band 7 Pro. Como consequência disso, a experiência de conectividade foi diferente do que se espera desse tipo de aparelho.

Pelo fato de eu utilizar o app Mi fitness conectado com outras pulseiras inteligentes, pensei que a detecção dessa seguiria o mesmo padrão. Entretanto, foi necessário baixar o APK mais recente do aplicativo e mudar a região do Brasil para a China com o intuito de conseguir sincronizar a smartband.

Isso porque, dependendo do local escolhido no app, ele não detecta a Mi Band 7 Pro em sua lista de dispositivos. Consequentemente, a conectividade não acontece com sucesso, e o acessório fica inútil até que esse processo seja realizado.

Após isso, é necessário mudar o idioma padrão do smartphone para o inglês. Assim, a leitura das informações fica mais fácil para quem tem o domínio do idioma, ou uma noção básica. Esse processo, no entanto, cria o inconveniente de alterar o posicionamento dos apps que são padrão do sistema, bem como mudar a língua de todas as redes sociais presentes nele.

Por se tratar de uma versão chinesa, essa Mi Band 7 Pro possui opções de NFC e Alipay, que é o método de pagamento comum na China. Porém, esses recursos não funcionam no Brasil. Logo, é recomendável esperar pela versão global e ter a garantia de que se “blindará” desses infortúnios.

Bateria e carregamento

Quando o assunto é bateria, a Xiaomi Mi Band 7 Pro é uma das mais competentes entre as pulseiras inteligentes presentes no mercado. São 235 mAh de capacidade total disponível nesse produto.

No uso prático, isso significa que a empresa conseguiu entregar um aparelho que é a clara evolução de sua Mi Band e, ao mesmo tempo, proporciona uma bateria que acompanha essa maturidade.

Apesar de ser a primeira geração, a Band 7 Pro surpreendeu por superar os 6 dias prometidos em uso hardcore. Digo isso porque a pulseira é capaz de funcionar por até 13 dias de maneira contínua antes de ser recarregada, e isso mais do que duplica a estimativa da Xiaomi.

Especificações técnicas

  • Peso da band: 20,5 g
  • Tela: AMOLED de 1,64 polegadas
  • Resolução: 280 x 456
  • Bluetooth 5.2
  • Sensor de frequência cardíaca e SpO2
  • Bateria: 235 mAh
  • Duração média: 12 dias
  • Requisitos do sistema: Android 6.0 e superior; iOS 10 e superior
  • Certificação IP68
  • Aplicativo: Mi Fitness
  • 117 modos esportivos

Concorrentes diretos

Uma pulseira inteligente que concorre diretamente com a Mi Band 7 Pro é a Mi Band 7 comum. O produto traz os mesmos recursos, mas entrega uma tela menor, e a interface apresenta lentidão no uso contínuo.

Além disso, a bateria possui menos capacidade. Consequentemente, autonomia fica abaixo do modelo analisado nesse texto. Entretanto, a quantidade de watchfaces é maior, e a fitness tracker em formato de pílula também garante compatibilidade com os planos de fundo animados.

Complementando todas essas características, o preço da Mi Band 7 é, em média, R$ 215 via importação, o que representa uma economia de quase R$ 100 em relação à sua versão Pro.

Outra alternativa é a Huawei Band 7. O aparelho da gigante chinesa tem um formato semelhante ao da 7 Pro, tanto o corpo quanto o conforto e o aproveitamento frontal proporcionado pelo display.

Porém, a quantidade de atividades presentes na pulseira da Huawei é menor do que a vista no modelo da Xiaomi. E outro ponto negativo a ser citado é o aplicativo, pois o Huawei Health tem uma interface menos ajustada para lidar com a quantidade de recursos disponíveis no vestível.

Porém, é importante destacar que a Huawei Band 7 é o único modelo vendido oficialmente no Brasil, e tem um preço médio de R$ 350, que é R$ 50 mais cara do que a Mi Band 7 Pro importada.

Uma Mi Band perfeita?

A Xiaomi Mi Band 7 Pro está longe de ser considerada um produto perfeito, porém a fabricante conseguiu acertar nos pontos que ainda eram duvidosos na versão compacta da pulseira inteligente.

Como consequência, o usuário recebe um aparelho com tela grande, bateria atrativa, interface fluida e diversos recursos organizados de maneira coesa. Outro ponto de destaque nesse acessório é a braçadeira com fechamento semelhante ao de um relógio, pois isso aumenta a vida útil do produto.

A conectividade com o celular é bem rápida, mas a versão chinesa encontrou problemas para se sincronizar com o aplicativo. Por isso, é recomendável comprar a versão global para evitar esse tipo de dor de cabeça.

Todavia, é importante destacar que os problemas pontuais não são suficientes para inferiorizar toda a qualidade da Mi Band 7 Pro a ponto de fazê-la valer a pena na mesma proporção — ou até mais — da Mi Band 7. Obviamente, o preço próximo de R$ 300 pode fazer alguns usuários se perguntarem se o gasto adicional é necessário. Mas a resposta é simples: ela é boa e faz sentido comprá-la.

Se interessou pela Xiaomi Mi Band 7? Clique no link abaixo e confira a melhor oferta!

Prefere a alternativa apresentada? Então confira o link com o melhor preço!