O que faz e quanto ganha um profissional de cibersegurança?

Por Kaique Lima | Editado por Claudio Yuge | 30 de Setembro de 2022 às 20h00

clique para compartilhar

Link copiado!

Segurança da informação é uma área cada vez mais vital e estratégica dentro das empresas, por conta disso, profissionais de cibersegurança são cada vez mais requisitados, com salários que animam bastante, pessoas que estão em outras áreas e pensam em mudar para a tecnologia. Mas uma dúvida surge nisso tudo, o que faz um profissional de cibersegurança?

Marcelo Nagy, de 46 anos, trabalha com cibersegurança desde 2010 e explica que a rotina é bastante desafiadora. Como ocupa o cargo de diretor de cibersegurança em uma empresa de gestão de tecnologia, segurança da informação e investigação cibernética, em São Paulo, o profissional tem um cotidiano bastante atribulado.

Como é a rotina de um profissional de cibersegurança?

“É uma rotina desafiadora, tenho cuidado em checar se ambientes estão atualizados (up-to-date) e se boas práticas de segurança estão sendo aplicadas”, explica o profissional. “Trabalho em torno de 12 horas por dia para garantir que os ambientes estão operacionais e que os processos de segurança da informação estão sendo bem executados”, destaca.

Para quem está afim de ir para a área de cibersegurança, é importante saber que um profissional dessa área deve conhecer como é a ação de um cibercriminoso, além de ser discreto ao lidar com informações sensíveis, saber trabalhar em equipe e, principalmente, conseguir trabalhar bem e rápido sob pressão.

“O profissional de cibersegurança precisa identificar vulnerabilidades no sistema, conhecer técnicas de ataques e saber implementar estratégias de defesa para proteger as empresas contra tentativas de ataque de cibercriminosos e roubo de informações sigilosas”, afirma o líder de prática na área de cibersegurança da Daryus Consultoria, Cláudio Dodt.

Quanto ganha um profissional de cibersegurança?

Assim como em outros campos da área da tecnologia, os salários em cibersegurança variam bastante a depender da posição do profissional dentro da hierarquia da empresa. Certificações, soft skills, especializações e, é claro, experiência, podem potencializar a remuneração de um profissional.

Segundo dados da empresa de recrutamento Robert Half, analistas com menos experiência podem começar ganhando cerca de R$5 mil e os salários para analistas com mais bagagem podem chegar até R$ 16 mil. Um pentester pode ganhar até R$ 17 mil, enquanto cargos de gerência e coordenação podem superar os R$ 20 mil.