OMS estima que 15% dos trabalhadores do mundo têm transtornos mentais

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 29 de Setembro de 2022 às 12h45

clique para compartilhar

Link copiado!

Para promover a saúde mental no ambiente de trabalho, a Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou, na quarta-feira (28), diretrizes para prevenir novos casos de transtornos mentais entre os colaboradores e oferecer o suporte necessário para aqueles trabalhadores já diagnosticados. É estimado que cerca de 15% da população mundial em idade ativa tenha ou teve algum transtorno do tipo.

“O bullying e a violência psicológica [também conhecida como mobbing] são as principais queixas de assédio em local de trabalho com impacto negativo na saúde mental. Entretanto, discutir ou dar visibilidade à saúde mental permanece um tabu em ambientes de trabalho de todo o mundo”, afirma a OMS, em comunicado.

Vale explicar que as novas diretrizes para prevenir transtornas mentais foram estabelecidas em parceria com a Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Qual é o custo dos transtornos mentais que não são tratados?

Entre os transtornos mentais mais comuns, estão a depressão e a ansiedade generalizada (TAG). Segundo a OMS, por ano, estas duas questões de saúde pública — muitas vezes ignoradas — geram 12 bilhões de dias de trabalho perdidos.

Em números, o impacto global da perda de produtividade é de US$ 1 trilhão (cerca de 5,4 trilhões de reais) por ano. Isso acontece, em partes, porque os trabalhadores não têm oportunidade de tratar quadros, que podem ser provocados por diferentes situações, incluindo o próprio trabalho.

Trabalho pode ser uma ferramenta para a melhora da saúde mental

É importante esclarecer que, segundo a OMS, "para pessoas com problemas de saúde mental, o trabalho justo pode contribuir para a recuperação e inclusão, melhorar a confiança e o funcionamento social". Em outras palavras, é uma ferramenta de melhora da saúde mental.

Inclusive, a OMS destaca que "estar fora do trabalho também representa um risco para a saúde mental. Desemprego, insegurança laboral e financeira e perda recente de emprego são fatores de risco para tentativas de suicídio".

Quando o trabalho se torna uma preocupação?

De forma geral, o trabalho passa a representar um risco para a saúde mental do colaborador quando são identificadas:

  • Cargas de trabalho excessivas;
  • Condições físicas de trabalho inseguras ou precárias;
  • Cultura organizacional que possibilita comportamentos negativos;
  • Insegurança no emprego ou remuneração inadequada;
  • Apoio limitado de colegas ou supervisão autoritária;
  • Violência, assédio ou bullying;
  • Discriminação e exclusão.

Como melhorar a saúde mental para os trabalhadores?

“Como as pessoas passam grande parte de suas vidas trabalhando, um ambiente de trabalho seguro e saudável é fundamental. Precisamos investir para construir uma cultura de prevenção em torno da saúde mental no trabalho, remodelar o ambiente de trabalho para acabar com o estigma e a exclusão social e garantir que os funcionários com problemas de saúde mental se sintam protegidos e apoiados”, pontua Guy Ryder, diretor-geral da OIT.

Fonte: OMS (1) e (2)