O que seu avatar na internet diz sobre você, segundo a ciência

O que seu avatar na internet diz sobre você, segundo a ciência

Por Nathan Vieira | Editado por Luciana Zaramela | 23 de Setembro de 2022 às 11h30
Vadim Bogulov/Unsplash

Na internet, as pessoas costumam se esconder atrás de avatares. No entanto, um novo estudo do Trinity College Dublin afirma que não se trata apenas de um esconderijo, mas também de uma maneira de expressar o "novo eu digital". Isso quer dizer que um avatar pode representar tanto um ato criativo de autorrepresentação como de escapismo.

“Qualquer experiência é ditada pelos limites da tecnologia, de um aplicativo, da comunidade envolvida ou do próprio usuário, mas ainda representa uma maneira de se sentir melhor ou mais seguro em mundos digitais que agora substituem cada vez mais atividades do mundo físico”, apontam os autores da pesquisa.

“Assim como no mundo 'real', as pessoas têm várias identidades diferentes que definem suas interações sociais. Seja como uma elfa guerreira em um jogo multiplayer online, ou uma representação profissional de si mesmas no metaverso”, acrescentam.

Os usuários podem estar igualmente sujeitos a privilégios ou preconceitos, mas esses avatares, novamente, podem ser diferentes de como os usuários por trás deles se parecem ou se identificam pessoalmente.

Um avatar pode representar tanto um ato criativo de autorrepresentação como de escapismo (Imagem: Anshita Nair/Unsplash)

Segundo o estudo, ao escolher um avatar, um usuário pode precisar ajustar sua representação visível ou reconhecível ao que estiver disponível: alguns aplicativos suportam apenas representações corporais estereotipadas para expressar sua idade, por exemplo.

De qualquer forma, o avatar de uma pessoa afeta as interações sociais e indica se elas se encaixam ou são deixadas de fora de determinados grupos sociais. “Fazer essa pesquisa foi importante, pois os avatares servem como base para milhões de interações sociais em ambientes virtuais todos os dias, mas eles não refletem necessariamente as identidades e características do usuário por trás deles. Isso requer uma visão diferente de quando observamos as interações sociais do mundo físico", estimam os pesquisadores.

Fonte: Neuroscience News

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.