Hepatite misteriosa em crianças: descobertas reforçam ligação com adenovírus 41

Hepatite misteriosa em crianças: descobertas reforçam ligação com adenovírus 41

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 16 de Maio de 2022 às 11h40
LightFieldStudios/Envato Elements

A hepatite aguda de origem desconhecida que está infectando crianças na Europa está, muito provavelmente, relacionada com a infecção pelo adenovírus 41, segundo levantamento do Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças (Ecdc). No continente europeu, a maioria das crianças com a doença misteriosa estava contaminadas pelo vírus.

Até 13 de maio de 2022 foram notificados 232 casos misteriosos de hepatite em crianças e adolescentes europeus de até 16 anos. Desse total, 229 foram classificados como prováveis pelas autoridades de saúde. 122 já se recuperaram, enquanto 18 permanecem sob cuidados médicos.

Casos de hepatite misteriosa em crianças têm relação com o adenovírus, segundo autoridades de saúde (Imagem: Seventyfourimages/Envato)

Até o momento, não foi possível identificar os vírus já conhecidos da hepatite em nenhum desses pacientes. "Os vírus habituais que causam hepatite infecciosa (hepatite A a E) não foram detectados", detalha comunicado da Agência de Segurança da Saúde do Reino Unido (Ukhsa).

Casos da hepatite misteriosa

No momento, o Reino Unido é o epicentro de suspeitas, com 176 casos, segundo a última atualização. ​​Entre os britânicos, os casos da hepatite de origem desconhecida parecem atingir mais crianças com menos de 5 anos: elas representam 75,9% dos casos já registrados. Uma morte em decorrência do quadro misterioso está em análise.

"Nossas investigações continuam a sugerir que existe uma associação com o adenovírus e nossos estudos, agora, estão testando essa associação rigorosamente", explica Meera Chand, diretora da Ukhsa.

Causa: adenovírus 41

Analisando ainda os dados sobre a hepatite misteriosa no Reino Unido, uma parcela significativa dos casos testou positivo para o adenovírus 41. "A investigação continua a sugerir uma associação com adenovírus. O adenovírus é o vírus mais frequentemente detectado em amostras testadas", explica o serviço de saúde britânico.

Do outro lado, algumas crianças também testaram positivo para o vírus da covid-19, o que pode ser um dos fatores associados com a condição que inflama o fígado. Dessa forma, a Ukhsa lembra que "estudos do sistema imunológico também estão sendo realizados para determinar se as mudanças na suscetibilidade, ou o efeito de infecções anteriores ou concomitantes, podem ser fatores contribuintes".

Anteriormente, a OMS confirmou que casos de hepatite viral já foram registrados em crianças, mas eram sempre pacientes com o sistema imune comprometido. Agora, nos novos casos, as crianças não apresentam nenhum grau de imunossupressão.

Sintomas dos casos de inflamação no fígado

"É importante que os pais saibam que a probabilidade de seu filho desenvolver hepatite é extremamente baixa", afirma Chand. Apesar disso, a diretora lembra da importância dos país e responsáveis estarem atentos para possíveis sinais da inflamação no fígado, como a icterícia — quando os olhos e a pele ficam com um tom amarelado.

A seguir, confira os possíveis sintomas da hepatite misteriosa em crianças:

  • Icterícia;
  • Urina escura;
  • Comichão na pele (coceiras);
  • Dor muscular;
  • Dor abdominal;
  • Perda de apetite;
  • Náusea e vômitos;
  • Diarreia;
  • Febre.

Fonte: Ecdc e Governo do Reino Unido  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.