Covid em crianças causa mais hospitalização que em idosos, revela Fiocruz

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 29 de Setembro de 2022 às 09h00

clique para compartilhar

Link copiado!

Desde a confirmação dos primeiros casos da covid no Brasil, a principal tendência era de que os idosos reapresentavam um dos maiores grupos de risco e também eram os mais hospitalizados, em caso de infecção. No entanto, o cenário do coronavírus SARS-CoV-2 é outro e, no último mês, mais crianças com menos de 5 anos estiveram internadas que idosos, segundo levantamento da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Entre os motivos que explicam a mudança no comportamento do vírus da covid, está a vacinação em massa e a distribuição das doses de reforço. Segundo dados da plataforma Our World In Data, 81% da população brasileira está imunizada com pelo menos duas doses. Apesar do número ser bastante expressivo, as crianças com menos de 5 anos ainda não estão tão protegidas quanto os mais velhos.

A análise sobre a taxa de crianças com menos de 5 anos hospitalizadas foi desenvolvida pelo pesquisador e coordenador do Observa Infância (Fiocruz/Unifase), Cristiano Boccolini, a partir de dados dos Boletins Epidemiológicos Especiais: Covid-19, do Ministério da Saúde.

Covid: crianças pequenas são mais hospitalizadas que idosos

Desde julho deste ano, o número de hospitalizações de crianças menores de cinco anos começou a crescer no Brasil. Desde aquele mês, a média é que duas a cada cinco internações da covid envolvam os pequenos, segundo a análise da Fiocruz.

Entre 14 de agosto e 10 de setembro, 678 bebês e crianças menores de 5 anos foram hospitalizados com covid-19 no país. Este número é quase o dobro dos 387 hospitalizados com mais de 60 anos que foram internados no mesmo período.

Para comparar a atual situação, no primeiro semestre deste ano, o Brasil registrou 7.809 internações de crianças com menos de 5 anos. Nesse mesmo período, o número de internações de idosos chegou a 90.206. O cenário estava bastante diferente.

Vacinação para crianças

Até a última sexta-feira (23), 2,5% das crianças com menos de 5 anos já tinham recebido as duas doses do imunizante contra a covid-19. No momento, um dos grandes desafios dos profissionais de saúde é ampliar a cobertura vacinal nesta faixa etária. "A cada dia que passamos sem vacinas aplicadas nessa faixa etária, mais de uma criança morre por covid-19 no Brasil", reforça Boccolini, em comunicado.

Vale lembrar que, desde julho, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou o uso emergencial da vacina CoronaVac para crianças com mais de 3 anos. Neste mês, a agência também aprovou o uso do imunizante da Pfizer em quem tem mais de 6 meses. Por enquanto, doses do imunizante da Pfizer para bebês ainda não foram adquiridos pelo Ministério da Saúde e o tema é debatido pela pasta.

Fonte: Agência Fiocruz