Autotestes de covid são precisos? Veja como checar a sensibilidade dos exames

Autotestes de covid são precisos? Veja como checar a sensibilidade dos exames

Por Fidel Forato | Editado por Luciana Zaramela | 19 de Janeiro de 2022 às 10h30
PolonioVideo/Envato Elements

Nos próximos dias, caso sejam aprovados pela Anvisa, os brasileiros poderão usar autotestes da covid-19 para identificar possíveis casos do coronavírus SARS-CoV-2. Além dessa alternativa até então inédita no país, outras opções estão disponíveis, como o RT-PCR e o teste de antígeno. Os três tipos de testagem podem apresentar sensibilidades diferentes.

"O autoteste para covid-19 é uma ferramenta com potencial utilidade, principalmente nas epidemias em que se deseja a testagem em massa para monitoramento da situação epidemiológica e direcionamento nos esforços para contenção da pandemia no território nacional", afirma a Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial (SBPC/ML), em nota.

Durante a análise feita em casa, os autotestes detectam a presença (ou não) de antígenos do SARS-CoV-2 (Tr-Ag). No momento, "diversos estudos e validações desses testes rápidos foram e vêm sendo realizados, evidenciando que a performance e acurácia são variáveis, de acordo com o fabricante em amostras de swab de nasofaringe, quando coletadas por profissionais da saúde", explica a SBPC.

Onde checar a sensibilidade dos testes da covid?

Iniciativa checa e agrupa informações sobre a sensibilidade dos autotestes e exames da covid-19 (Imagem: Reprodução/Twenty20photos/Envato Elements)

Com a variedade das sensibilidades dos testes rápidos, inúmeras entidades médicas do Brasil se uniram — usando a estrutura de grandes laboratórios com atendimento hospitalar — para promover a avaliação de kits de diagnóstico para SARS-CoV-2 disponíveis no mercado brasileiro. A ideia é apresentar aos usuários e especialistas um panorama de fácil compreensão para apontar as variações entre as opções disponíveis.

A iniciativa recebe o nome de Programa de Avaliação de Kits de Coronavírus. Além da SBPC, estão envolvidos pesquisadores da Sociedade Brasileira de Análises Clínicas (SBAC), da Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica (Abramed) e da Câmara Brasileira de Diagnóstico Laboratorial (CBDL).

No site do projeto, é possível encontrar a sensibilidade — diferenciada para ocasiões em que os pacientes são sintomáticos e assintomáticos — e especificidade de cada teste para a covid-19 validado por esta iniciativa. As buscas podem ser feitas pelo tipo de tecnologia aplicada ou pelo nome do teste. Conforme novos kits forem aprovados pela Anvisa, a lista de exames deve aumentar.

Autotestes são limitados

Vale lembrar que, independente da facilidade em serem feitos, a sensibilidade em diagnosticar a covid-19 dos testes de antígenos — incluindo os autotestes — é limitada. Isso quando se compara com o padrão-ouro da pandemia, o exame de RT-PCR, por exemplo.

"Devido à sensibilidade limitada, do ponto de vista prático, o autoteste não deve ser realizado para pacientes sintomáticos, em especial graves, para orientar conduta médica", defende a Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial (SBPC/ML), em nota.

De acordo com o Ministério da Saúde, a pessoa que testar positivo deve procurar "uma unidade de atendimento de saúde (ou teleatendimento) para que um profissional da saúde, mediante as estratégias já postas pelo Ministério da Saúde, realize a confirmação do diagnóstico, notificação e receba as orientações pertinentes de vigilância e assistência em saúde".

Fonte: Programa de Avaliação de Kits de Coronavírus  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.