Qual é o melhor celular Xiaomi por até R$ 1.000 em 2022?

Por Bruno Bertonzin | Editado por Léo Müller | 28 de Setembro de 2022 às 17h57

clique para compartilhar

Link copiado!

Redmi 10 (2022)
ver mais

O mundo dos celulares é repleto de opções e muitas fabricantes têm modelos que vão desde os mais básicos até os mais avançados. No entanto, geralmente os smartphones mais divulgados são aqueles mais completos e, consequentemente, mais caros. Pensando nisso, preparei uma lista com as melhores opções de celulares da Xiaomi para você comprar em 2022 e gastar até R$ 1.000.

É importante destacar, porém, que este é um mercado pouco aproveitado atualmente e, infelizmente, são poucas as opções da Xiaomi disponíveis nesta categoria. Dessa forma, alguns modelos ultrapassam um pouco a faixa dos R$ 1.000, mas a variação de preços pode fazer com que eles logo fiquem ainda mais acessíveis.

Sem mais conversa, vamos conhecer cada modelo e ver qual irá te atender melhor. Confira:

Melhor celular Xiaomi para fotos por até R$ 1.000

Redmi 10 2022 e Redmi 10 Prime 2022

Estes dois modelos são muito parecidos e compartilham boa parte de seu hardware e software, então ambos se saem muito bem se você quer encontrar o melhor Xiaomi até R$ 1.000, principalmente se estiver buscando um celular que te atenda mais para navegação geral em aplicativos ou redes sociais.

Em comum, eles possuem o chipset MediaTek Helio G88, que possui um processador octa-core, entrega uma velocidade de até 2 GHz e tem a placa gráfica Mali-G52. Os dois celulares também oferecem versões de 4 GB de RAM com 64 GB e 128 GB de armazenamento interno.

O Xiaomi Redmi 10 Prime ainda tem uma edição com 6 GB de RAM, mas esta é menos comum de encontrar nas lojas e está disponível em poucas regiões.

O conjunto de câmeras é igual nos dois e oferece uma boa versatilidade na hora de tirar fotos. Tanto o Redmi 10 quanto o Redmi 10 Prime possuem um sensor principal de 50 MP, auxiliado por uma lente ultrawide de 8 MP, com uma macro e uma de profundidade de 2 MP, cada.

No dia-a-dia, isso facilita bastante na hora de tirar fotos comuns ou com um campo de visão maior, além de obter imagens no modo retrato com uma sensação maior de profundidade graças ao sensor dedicado. Para selfies, mais uma vez, os dois são iguais, com um sensor de 8 MP com abertura f/2.0.

Apesar de toda a similaridade, o Xiaomi Redmi 10 Prime 2022 tem mais vantagem em relação à bateria. Ele tem um componente de 6.000 mAh, que oferece uma autonomia razoavelmente maior comparada à do Redmi 10 (2022), que tem os 5.000 mAh que é a média do mercado.

Visualmente falando, eles são idênticos. Os dois modelos têm uma tela IPS LCD de 6,5 polegadas com proteção Gorilla Glass 3, taxa de atualização de 90 Hz e resolução Full HD de 2400 x 1080 pixels.

A faixa de preços dos celulares é um pouco diferente. O Redmi 10 2022 é vendido entre 1.000 e R$ 1.100 e o Redmi 10 Prime 2022 é ligeiramente mais acessível, entre R$ 900 e R$ 1.000.

Também é importante destacar que a variação de valores é bem constante para os dois modelos, então é provável que haja uma queda ao longo dos próximos meses, mas, no momento, a versão “Prime” é a que oferece mais vantagens no varejo.

Melhor celular Xiaomi com boa bateria por até R$ 1.000

POCO C40

O Poco C40 foi lançado recentemente no mercado brasileiro e, apesar do preço mais elevado para quem for comprar o dispositivo oficialmente no Brasil, é possível encontrar ofertas que estão abaixo dos R$ 1.000 em lojas que fazem a importação para nosso país.

O maior destaque do aparelho é, sem sombra de dúvidas, a sua bateria bem generosa. Com 6.000 mAh de capacidade, ele pode chegar a três dias de uso com uma única carga. Mas isso é considerando um uso mais básico do aparelho, é claro. De qualquer forma, para um aproveitamento moderado, ele deve ultrapassar tranquilamente um dia de duração.

Apesar de tudo isso, é importante já deixar claro alguns pontos importantes: o POCO C40 é um celular bem básico — ainda mais simples do que os outros modelos listados neste artigo.

Ele conta com um chipset desconhecido, o JLQ JR510. Esse componente é fabricado com uma litografia de 11 nanômetros, que já é bem maior do que a média atual. Em termos mais simples, é um chip grande, com baixo poder de processamento e um gerenciamento de energia não tão eficiente quanto os modelos da Qualcomm ou MediaTek.

De qualquer forma, se seu foco é um celular que irá te atender bem em tarefas mais básicas e que poderá ficar bastante tempo longe das tomadas, ele atende bem.

Outras especificações incluem uma memória RAM de 4 GB aliada a 64 GB de armazenamento interno — especificações que estão na média para smartphones de entrada.

Em relação ao preço, ele custa mais de R$ 1.500 no mercado nacional, mas é possível encontrar ofertas de importadores que vão de R$ 700 a R$ 1.000.

Seu conjunto de câmeras inclui uma configuração dupla na traseira, com um sensor principal de 13 MP auxiliado por um de 2 MP para imagens em profundidade, enquanto na frente ele tem um obturador de 5 MP para selfies.

Celular mais acessível da Xiaomi por até R$ 1.000

Redmi 10C

O Redmi 10C é um dos celulares mais acessíveis da fabricante chinesa. Com um preço que varia exatamente de R$ 900 a R$ 1.000 para a sua versão mais básica — que possui 64 GB de memória interno — ele é um modelo bem barato, ideal para quem quer realmente um smartphone bem simples.

Seu conjunto de hardware inclui um chipset Snapdragon 680, que tem uma frequência máxima de 2,4 GHz, mas tem uma construção mais simples.

Aliado a isso, o smartphone traz versões de 64 GB ou 128 GB de armazenamento interno combinados com 4 GB de RAM. É importante destacar, no entanto, que a variante com 128 GB pode ultrapassar ligeiramente a faixa dos R$ 1.000.

Para o conjunto de câmeras, ele tem uma configuração dupla na traseira, com um obturador principal de 50 MP auxiliado por uma sensor de profundidade de 2 MP. Para selfies, o smartphone possui uma câmera frontal de 5 MP.

Tudo isso é alimentado por uma bateria de 5.000 mAh, que deve oferecer uma autonomia de um dia de uso, dependendo da forma como você utiliza o aparelho.

Redmi 10A

Ainda mais simples e mais barato — já que pode ser encontrado a partir de R$ 700 — o Redmi 10A é um dos celulares mais básicos da Xiaomi. Ele possui um chip MediaTek Helio G25, que oferece uma velocidade de 2.0 GHz em seus quatro núcleos principais.

Suas opções de memória e armazenamento são mais variáveis e o telefone conta com 2 GB, 3 GB ou 4 GB de RAM, combinados com 32 GB, 64 GB e 128 GB de espaço para salvar arquivos e aplicativos.

Para fotografia, ele é bem mais modesto e conta com apenas uma câmera traseira, de 13 MP, e uma frontal de 5 MP. Dessa forma, ele não oferece tanta versatilidade na hora de tirar fotos.

Já sua bateria está na média de smartphones do tipo e oferece a mesma capacidade do modelo anterior — são 5.000 mAh.