Melhor celular custo-benefício de 2022 de cada marca

Por Diego Sousa | Editado por Léo Müller | 05 de Julho de 2022 às 16h36

clique para compartilhar

Link copiado!

Galaxy A52s 5G
ver mais

Encontrar um celular bom e barato atualmente é uma tarefa complicada, já que os preços aumentaram bastante nos últimos anos. Mas, há algumas empresas que facilitam o processo de busca, seja diminuindo os preços dos smartphones antigos ou lançando modelos com melhorias pontuais só para não encarecer muito.

Nos últimos meses, tive a oportunidade de testar muitos smartphones de grandes marcas e alguns se destacaram justamente pela ótima relação custo-benefício. Por isso, decidi preparar esta pauta para ajudar você a encontrar o aparelho mais interessante de cada fabricante.

Para esta matéria, separei os escolhidos de acordo com estas quatro marcas que vendem oficialmente no nosso mercado: Samsung, Motorola, Xiaomi e Apple. Todos os modelos foram testados pela equipe de analistas do Canaltech, a qual faço parte.

Melhor celular custo-benefício da Samsung

Samsung Galaxy A52s 5G

Eu já falei em outros textos, mas não custa repetir: o Samsung Galaxy A52s 5G é o melhor custo-benefício da Samsung atualmente. O aparelho foi lançado em setembro de 2021 um pouco caro, custando R$ 3.499, mas agora pode ser encontrado por cerca de R$ 1.800, diminuição de quase 50%.

E o smartphone é excelente para os padrões intermediários. Lançado como uma versão aprimorada do popular Galaxy A52 5G, o Galaxy A52s 5G traz chipset Snapdragon 778G 5G, o mesmo presente no novo Galaxy A73 5G, além de 6 GB de RAM, 128 GB de memória interna e promessa de atualizações do Android até 2025.

Não é exagero dizer que ele ainda roda praticamente tudo disponível na Play Store com tranquilidade, seja redes sociais, mensageiros, editores e jogos mais pesados. Claro, não chega a rivalizar com modelos topo de linha, mas entrega desempenho com sobra para a maioria das pessoas.

Em tela, temos um display Super AMOLED de 120 Hz, um dos melhores que você vai ver num celular intermediário atualmente. O corpo é idêntico ao do irmão A52, inclusive na resistência contra água e na bateria de 4.500 mAh com carregamento rápido.

Nas câmeras, o A52s 5G também não mudou em relação ao A52, por isso temos um ótimo sensor principal de 64 MP com estabilização óptica, ultrawide de 12 MP com ângulo de 123º, macro de 5 MP e uma lente frontal de 32 MP.

Resumindo, é um excelente aparelho pelo preço e, se você curte os aparelhos intermediários da Samsung, vale o investimento, pelo menos enquanto a marca ainda o vender oficialmente.

Melhor celular custo-benefício da Motorola

Motorola Moto G71 5G

Do lado da Motorola, o Motorola Moto G71 é o qual entrega mais por menos. Ele é um dos primeiros celulares da linha a adotar tela OLED em vez de IPS LCD, então já está no caminho certo para se aproximar da linha Samsung Galaxy A no mercado brasileiro.

Já que eu falei da tela, deixa eu adiantar que ela é uma das melhores que a Motorola já produziu para a linha Motorola Moto G. Ela tem 6,4 polegadas com tecnologia OLED e resolução Full HD+, resultando em ótima densidade de pixels, boa nitidez, cores vivas e pretos profundos.

Infelizmente, ele não veio com taxa de atualização aumentada, algo que já se tornou comum na maioria dos aparelhos. Mas a experiência multimídia com ele ainda é ótima, seja para consumir vídeos, ler na web ou jogar.

O Moto G71 já vem com 5G e um desempenho satisfatório para a categoria. Segundo os testes do Canaltech, foi possível rodar títulos como Genshin Impact com alguma redução gráfica, além de Asphalt 9 com qualidade alta. Em tarefas do dia a dia, por sua vez, ele não decepciona com 6 GB de RAM.

Onde o aparelho da Motorola pode decepcionar um pouco é na câmera. O principal de 50 MP é a melhor e entrega boas fotografias, mas as ultrawide e macro não fazem um bom trabalho no geral, pecando nas cores e na definição.

Caso você não tenha muito foco em câmeras, e goste dos aparelhos da Motorola, o G71 pode ser uma boa opção por estar custando em torno de R$ 1.700.

Melhor celular custo-benefício da Xiaomi

Redmi Note 11 Pro 5G

O Redmi Note 11 Pro 5G é um dos melhores celulares intermediários da Xiaomi. Ele tem vidro na tampa traseira e alumínio nas laterais, mas não chega a ter resistência a água e poeira, o que é uma pena. Pelo menos, a marca chinesa garante proteção contra respingos.

A tela do Redmi Note 11 Pro 5G também é excelente para os padrões de gama média. São 6,7 polegadas com resolução Full HD+ e taxa de atualização de 120 Hz, que pode ser ajustada para um mínimo de 60 Hz. No geral, traz ótimo brilho, resolução agradável e cores muito vivas.

No desempenho, o celular da Xiaomi é bem parecido com o Moto G71 5G por trazer o Snapdragon 695 5G, 6 ou 8 GB de RAM e até 128 GB de armazenamento interno. Isso significa que ele também deve rodar jogos pesados com alguma redução gráfica, mas pode aguentar alguns títulos no máximo.

O grande diferencial do Redmi Note 11 Pro 5G é o departamento fotográfico. A câmera principal de 108 MP tem ótimo equilíbrio de cores e bastante nitidez. A ultrawide de 8 MP, por sua vez, entrega bom balanço de cores, mas resolução menor.

Outro destaque do celular da Xiaomi é a bateria, mas, principalmente, seu carregamento. Ele tem suporte para 67 W de potência, que consegue recarregar o aparelho em menos de uma hora. E o melhor de tudo é que a marca envia o carregador na caixa.

Melhor celular custo-benefício da Apple

iPhone 11

A Apple é a marca de celular mais cara do Brasil e seus produtos não custam menos que R$ 2.500. No entanto, se você for fã da Maçã ou simplesmente quiser entrar no ecossistema da empresa, o iPhone 11 é o melhor “custo-benefício” do momento.

Primeiro de tudo, deixa eu esclarecer que não acho o iPhone 11 um smartphone barato. Mas, no portfólio da Apple, é o que entrega mais custando “menos”. O principal diferencial do celular é o desempenho com o chipset A13 Bionic aliado ao sistema iOS.

Mesmo com quase três anos no mercado, o smartphone da Apple ainda é ótimo para qualquer tarefa, inclusive batendo modelos topo de linha Android mais recentes, como o S21. A única ausência que pode fazer falta a algumas pessoas é o 5G, já que a tecnologia chegou somente no iPhone 12.

Nas câmeras, o iPhone 11 também manda muito bem e pode ser a porta de entrada para quem produz conteúdo. Suas duas câmeras de 12 MP funcionam muito bem em redes sociais, como Instagram e TikTok.

Há alguns detalhes que eu não curto muito no iPhone 11. A tela LCD e a interface do sistema são os principais “problemas”, na minha opinião. No entanto, no geral é um bom celular para entrar no ecossistema da Apple gastando “pouco”. E eu coloco entre aspas porque R$ 3.500 é considerado “acessível” para um iPhone.