IPX7 e IPX8 | O que significa essa classificação de resistência à água?

Por Igor Leves de Almeida | Editado por Léo Müller | 05 de Outubro de 2022 às 10h26

clique para compartilhar

Link copiado!

Galaxy Z Flip 4
ver mais

Você já deve ter reparado nas siglas IPX7 e IPX8 nas fichas técnicas dos celulares, principalmente os mais recentes. Entretanto, o que isso significa e qual é a diferença entre essas certificações?

A começar pela origem das certificações, elas foram estabelecidas pela IEC (Comissão Eletrotécnica Internacional) um órgão que definiu tal classificação baseado em testes e normas rigorosas.

A sigla abrevia a expressão Ingress Protection, ou seja, Proteção contra ingresso. Em português, ficou estabelecido como “classe de proteção”. Basicamente, quando um celular apresenta essa certificação, é sinal que ele foi submetido a diversos testes e atende a rigores tanto na sua construção quanto ao seus componentes.

Qual a ordem da certificação?

O segundo número da sigla IP é o que representa o grau de proteção do aparelho contra água. Assim, esse será o foco deste texto, apesar de também contemplar a resistência à poeira (que é representado pelo primeiro dígito).

Por isso, a classe está diretamente relacionada ao valor do número, quanto maior, mais resistente é o smartphone ou dispositivo. Com isso, temos a seguinte lista:

  • 0 - Sem proteção;
  • 1 - Protegido contra gotas que caiam na vertical (chuvas de 1 mm por minuto);
    2 - Protegido contra gotas que caiam na vertical com corpo inclinado a até 15° (chuvas de 3 mm por minuto, em ângulo de até 15º);
  • 3 - Protegido contra borrifos d’água (um spray, por até 5 minutos em modo contínuo ou 10 minutos de forma intercalada);
  • 4 - Protegido contra jorro d’água (uma torneira aberta, por até 10 minutos de forma intercalada);
  • 5 - Protegido contra jatos d’água (um bocal de 6,3 mm, volume de 75 l/min, por até 15 minutos);
  • 6 - Protegido contra jatos d’água potentes (um bocal de 12,3 mm, volume de 100 l/min, por até 3 minutos);
  • 6K - Protegido contra jatos d’água potentes de maior pressão (um bocal de 6,3 mm com pressão de 10 bar, volume de 75 l/min, por até 3 minutos);
  • 7 - Protegido contra imersão temporária em água de até 1 metro por 30 minutos (água pode entrar, mas não o bastante para danificar o aparelho);
  • 8 - Protegido contra a imersão contínua em água (a profundidade é definida pelo fabricante, mas o limite em geral é de 3 metros);
  • 9K - Protegido contra água proveniente de jatos de vapor e alta pressão (jatos de 80º C com pressão de 80 a 100 bar, volume de 14 a 16 l/min, por até 2 minutos);
  • X - Informações ausentes.

Assim sendo, podemos ver que o máximo é o número 9K, que dificilmente vai ser implementado em algum celular, mesmo no futuro. Já que não faz sentido investir tanto para proteger contra um risco muito específico e que raramente vai ser posto à prova no dia-a-dia.

Entre IPX7 e IPX8 qual o melhor?

Como mencionado acima, a diferença sutil entre o nível 7 e o nível 8 da certificação é o tempo de submersão e também a profundidade que o dispositivo resistiria.

Ainda que o quesito profundidade seja estabelecido pelos fabricantes, normalmente encontramos a média de 1,5 metro como o limite antes de começar a danificar o celular.

E, apesar de não ficar claro na lista, as próprias marcas não recomendam que o tempo de submersão seja superior a trinta minutos. Assim como podemos ver no site da Samsung a respeito da certificação IPX8 dos Galaxy Z Flip3 e Z Fold 3.

Com isso, fica o aviso de que, na prática, é pouco palpável a diferença entre os níveis da certificação IPX7 e IPX8. De toda forma, quando for comprar ou trocar seu celular, é interessante procurar o nível máximo.

Até porque, antes ter uma garantia mais robusta do que apostar em algo menos testado. Ainda assim, é importante reforçar para tomar bastante cuidado com celulares e água.

A certificação promete uma resistência à água doce, isto é, água da piscina (que contém cloro), água do mar e outros líquidos não estão contemplados nessa certificação.

Então, sempre tome um cuidado extra com smartphones em ambientes com água. O ideal, é de fato mantê-lo longe e protegido, seja numa capinha, bolsa ou mesmo dentro de alguma mala.

Como saber se o smartphone tem certificado?

Não existe muito segredo. Para descobrir se seu smartphone possui algum nível de resistência à água de acordo com a certificação IP, basta buscar sua ficha técnica.

Com isso, é garantido que você terá a informação correta quanto ao nível de proteção que seu celular oferece contra água doce. Mas lembre-se de sempre evitar esse contato.

A ideia dessa proteção é evitar a perda do dispositivo em acidentes. De forma alguma você deve usar despreocupadamente seu smartphone em banhos, piscinas, e muito menos no mar.

Estamos falando de um hardware muito sensível e que funciona em situações claras. Caso algum elemento venha a entrar em contato, pode comprometer todo o funcionamento e causar danos ao aparelho.

Diferença entre resistência e ser a prova d’água

Você pode se deparar com outros aparelhos que conseguem mergulhar muito mais fundo na água, inclusive águas salgadas ou mesmo da piscina. Às vezes, também é possível encontrar dispositivos que aguentam até 50 metros ou 100 metros de profundidade.

Essa é uma grande diferença, normalmente vemos smartwatches ou mesmo relógios convencionais que conseguem essas façanhas. Não é o caso dos celulares. Um fator é ser resistente, outro é ser a prova d’água.

Para isso, os testes e proteções precisam ser muito mais rigorosos e precisos. O que, atualmente, não é viável em celulares, já que contam com muitas entradas, e vulnerabilidades em sua construção. Diferente de relógios que possuem uma carcaça mais compacta e fechada.

Assim, podemos ver vários exemplos de produtos que oferecem essa possibilidade. Outro item interessante a se observar são as caixas de som. Elas também não são à prova d’água, apenas oferecem uma certa resistência.

Por isso, tome cuidado em festas na piscina. Procure deixar os alto-falantes em locais mais isolados e longe da água, de forma a evitar que elas possam ser danificadas ou mesmo perdidas por pulos e água jogada para fora.