Huawei Band 6 ou Huawei Band 7: vale a pena fazer o upgrade?

Por Jucyber | Editado por Léo Müller | 18 de Agosto de 2022 às 15h51

clique para compartilhar

Link copiado!

Huawei Band 7
ver mais

A Huawei Band 7 é uma boa pulseira inteligente, principalmente para quem busca o acessório com um foco maior em esportes. Porém, ela não é a única alternativa da marca, e resolvemos fazer um comparativo do produto com a Huawei Band 6.

Afinal ainda existem muitos usuários com a antecessora, e ficar em dúvida se o upgrade vale a pena ou não é incomum. Por este motivo, vamos apontar as características que evoluíram entre as gerações e defeitos que poderiam ser ajustados, mas seguem presentes.

Quer saber se vale a pena continuar usando a Huawei Band 6 ou se comprar a Huawei Band 7 é um bom avanço? Então, confira nesse comparativo completo.

Design e construção

Por mais que as duas pulseiras inteligentes tenham um visual bem parecido, existem detalhes que ajudam a diferenciá-las. Entre eles, está o peso, pois a Huawei Band 6 é mais robusta do que a Band 7, e isso faz com que elas pesem 18 gramas e 16 gramas, respectivamente.

Consequentemente, essa mudança no peso também influencia nas dimensões dos produtos. Mas a principal e mais relevante alteração é a altura da Huawei Band 7.

Segundo a fabricante chinesa, esse “redesign” tem como foco melhorar a experiência de uso. E, na minha opinião, conseguiu ajustar positivamente o conforto para manter a pulseira no pulso por horas e em diferentes atividades sem que ela cause incômodo.

Nas duas gerações, temos pulseiras que dão maior segurança no uso pelo formato parecido com o de um relógio tradicional. Além disso, o carregador magnético funciona da mesma maneira nos equipamentos.

Tela

A tela não teve nenhuma alteração da Huawei Band 6 para a Band 7. Por isso, a qualidade visual obtida nos dois equipamentos será a mesma, já que todos os ajustes que poderiam fazer diferença na usabilidade são equivalentes nelas.

Ambas contam com painel AMOLED de 1,47 polegadas em formato retangular. Com isso, o ajuste do layout da interface à tela é bem interessante, e a visualização das informações, principalmente mensagens, não exige uma navegação excessiva pelo display.

Apesar de as duas smartbands da Huawei terem compatibilidade com mais de 4 mil planos de fundo — watchfaces —, a Band 7 ainda tem um elemento a mais para manter a autonomia da bateria equilibrada sem deixar de lado a parte visual.

Trata-se do recurso ‘Sempre na tela’ — Always on display — no qual as informações básicas do acessório ficam expostas continuamente no visor. Nesse tipo de uso, as imagens das watchfaces são transformadas em desenhos lineares para a personalização, mas dando ênfase apenas à hora.

Recursos

Apesar de a Huawei Band 7 e Band 6 se destacarem na parte de exercícios físicos, é importante apontar alguns recursos que estão presentes na versão mais recente da pulseira inteligente e não são encontrados na antecessora.

Como é o caso da opção de resposta rápida para mensagens em aplicativos como o WhatsApp e o Telegram. Obviamente, alguns textos prontos podem não ser equivalentes com o que foi enviado para você, mas, respondendo com atenção, dá para reduzir a necessidade de abrir o app continuamente no smartphone.

Outros recursos que chegaram na Huawei Band 7 são a opção de tocar na tela para ligar o dispositivo e a função de encontrar o smartphone. Apesar de serem ferramentas populares em equipamentos de outras marcas, somente em 2022 chegou ao acessório da chinesa.

A respeito dos modos esportivos, não existem diferenças entre elas. São 96 atividades físicas monitoráveis nas duas gerações de smartband. Por terem os mesmos sensores, o rastreamento é equivalente nas duas.

Porém, um recurso presente na Huawei Band 7 que faz falta na band 6 é o monitoramento automático de exercícios. Muitas vezes, é comum se esquecer que clicar em “iniciar” nas atividades, e essa opção registra uma movimentação equivalente a um esporte e começa a rastrear sem intervenção do usuário.

Elas possuem o sensor para detectar o nível de oxigenação no sangue (SpO2), e também são à prova d’água em mergulhos de até 50 metros de profundidade. O monitoramento de sono tem um relatório bem completo no aplicativo Huawei Health — Saúde —, mas na versão 7 senti algumas falhas nesse rastreio.

Por exemplo, ao acordar em um período da noite, o recurso detectou como se eu tivesse despertado por completo. Esse é um ponto negativo citado na análise dela, pois nunca tive esse problema na Huawei Ban 6.

Entretanto, é preciso estar atento para as atualizações de firmware, pois pode acontecer de a fabricante solucionar esse problema detectado poucas semanas após o lançamento do aparelho aqui no Brasil.

Todos os dados rastreados pela Huawei Band 6 e 7 são sincronizados e embutidos no aplicativo ‘Saúde’. Apesar de funcional, ele é muito limitado quanto comparado com outras opções presentes no mercado.

Além disso, a conexão dos equipamentos com ele demanda um pouco de tempo e paciência pela necessidade de estar logado na conta da Huawei para que esse pareamento ocorra corretamente.

Bateria

Tanto a Huawei Band 6 quanto a Huawei Band 7 possuem 180 mAh de capacidade total de suas baterias. Porém, parece que a atualização de geração ajudou a aprimorar a administração energética.

Mesmo que a empresa prometa 2 semanas de uso contínuo antes de precisar recarregá-las, é notório que a usabilidade demandará bem mais energia deles, e, consequentemente, menos tempo de uso antes da recarga.

Porém, é importante deixar claro que o tempo de uso total — dentro da experiência de uso do analista Diego Sousa — da 6ª geração foi de uma semana.

Em contrapartida, a 7ª geração foi capaz de entregar até 9 dias de autonomia em uso intenso, mesmo com todas as notificações ativas, rastreamento cardíaco constante, entre outras opções que ajudam a drenar a bateria.

Huawei Band 6 ou Huawei Band 7: qual é a melhor?

Se o seu intuito é escolher uma das duas pulseiras inteligentes para ter a certeza de que está comprando um produto de altíssima qualidade e com recursos atrativos, saiba que as duas são boas nesse sentido.

Entretanto, é preciso destacar que a Huawei Band 7 recebeu melhorias agradáveis em sua usabilidade, principalmente com a presença tão aguardada das opções de ‘Always on display’ e ‘Toque para ligar a tela’, que sempre a fizeram ficar atrás das concorrentes.

O conforto obtido com a Band 7 também é outro diferencial agradável, pois dá mais leveza no uso e a pulseira com fixação confiável ajuda a manter o equipamento seguro contra quedas inesperadas.

A bateria também está mais otimizada na Huawei Band 7, e nada disso afetou absurdamente o preço da smartband. Comprando nas varejistas do Brasil, a pulseira pode ser encontrada a uma média de R$ 350.

Todavia, a Huawei Band 6 está mais barata, com o preço próximo de R$ 260. Logo, a escolha pela nova será mais uma questão de necessidade de uso dos recursos mais recentes, já que não existem upgrades tão significativos que justifiquem uma troca geracional. Mas, para uma primeira compra, é melhor partir logo para a Band 7.