Comparativo Galaxy Tab A7 (2020) x Ultra U10: qual é o melhor?

Por Amanda Abreu | Editado por Léo Müller | 25 de Fevereiro de 2022 às 09h48

clique para compartilhar

Link copiado!

Galaxy Tab A7 10.4 (2020) - LTE
ver mais

O Ultra U10 e o Samsung Galaxy Tab A7 (2020) são dois modelos de tablets de entrada/intermediários disponíveis no mercado brasileiro. Ambos têm tamanho de tela, peso e configurações bem semelhantes. Todavia, oferecem desempenho e navegabilidades diferentes entre si. Mas, afinal de contas, qual deles vale mais a pena? Confira no nosso comparativo.

Enquanto o primeiro — subsidiado pela Multilaser — acabou de ser lançado em solo nacional, o dispositivo da gigante sul-coreana já é bem conhecido e tido como opção a se considerar quando falamos desse tipo de aparelho.

Lembrando que, ao final da matéria, disponibilizaremos links confiáveis para compra dos produtos.

Design e Construção

Começando pelo Tab A7 10,4’’, a Samsung se preocupou em construir um tablet que fosse custo-benefício, mas que também tivesse boa durabilidade e presença de materiais mais nobres. Ele também é bem fino, já que são somente 7 mm de espessura.

Já essas mesmas características não são observadas no U10, infelizmente. Em um primeiro momento, assim que pegamos o dispositivo em mãos, é possível notar a tentativa de “imitar” a presença de metal na parte traseira e lateral do aparelho com uma tintura acinzentada levemente cintilante. O único problema é que o material é, na realidade, plástico comum.

  • Dimensões Tab A7: 15,7 x 24,7 x 0,7 cm – 477 gramas;
  • Dimensões U10: 17,2 x 24,4 x 0,9 cm – 810 gramas.

As saídas de áudio também são diferentes em quantidade, qualidade e posição. Enquanto o Tab A7 possui quatro alto-falantes — dois localizados na esquerda, e os outros dois, na direita — o U10 tem somente duas delas, situadas na parte inferior do produto.

Na parte de botões e conectores do Tab A7 (2020), observamos a seguinte configuração:

  • Botão de ligar/desligar;
  • Botão de aumento/diminuição de volume;
  • Conector do tipo P2;
  • Quatro saídas de áudio;
  • USB-C para recarga e transferência de dados;
  • Entrada para cartão Micro SD;
  • Entrada para chip de operadora 4G (versão LTE).

No U10:

  • Entrada para chip de operadora (4G LTE);
  • Entrada para cartão de memória;
  • Entrada USB-C para recarga da bateria e transferência de dados;
  • Botão para bloqueio/desbloqueio;
  • Botão de aumento/diminuição de volume;
  • Duas saídas de áudio;
  • Entrada P2 para fones de ouvido.

Configuração e Desempenho

Apesar de o Ultra U10 ser bem mais recente que o A7 e ter configuração bastante semelhante em alguns pontos, a Samsung sai na frente.

Primeiro que, enquanto a marca brasileira utiliza a plataforma Unisoc SC9863A, a sul-coreana prefere ir por caminhos já conhecidos, escolhendo o Snapdragon 662.

Trazendo alguns números para comparação, o chipset feito pela Qualcomm entrega performance até 2,53 vezes mais rápida que a concorrente. Ele também tem arquitetura mais atual: são 11 nm contra 28 nm. Uma diferença gigantesca.

Existe uma quantidade maior de núcleos (oito no total), além de velocidade superior. Logo, entre os aparelhos, o Tab A7 10,4’’ ganha com folga considerável, já que consegue dar conta de múltiplas atividades, além de jogos mais atuais mesmo com os gráficos no baixo.

O espaço de trabalho é o mesmo entre os dois, já que são disponibilizados somente 3 GB de memória RAM. Todavia, o chipset ser mais potente transforma a experiência em algo bem mais agradável e menos frustrante.

Vale lembrar que os dois aparelhos são mais simples e voltados para atividades básicas. Então, tenha em mente que esses modelos suprem a usabilidade do dia a dia e não servem para apps muito pesados ou que exigem configurações melhores.

Tela

A Samsung é notoriamente conhecida pela qualidade de seus painéis e telas, mesmo os TFT. Logo, é naturalmente esperado que os tablets da marca entreguem imagens nítidas e bonitas.

O Tab A7 tem 10,4’’, tamanho excelente para as mais diversas atividades. Sua resolução é 1200 x 2000, tecnicamente acima do “Full HD”.

Sei que muitos usuários preferem AMOLED na construção dessa parte, mas precisamos lembrar que estamos falando de um modelo custo-benefício, logo, é esperado que haja alguns cortes na construção do produto.

O Ultra U10, infelizmente, fica devendo para seu concorrente. Apesar do bom tamanho (10,1 polegadas), durante a visualização dos conteúdos, a imagem ficava com aspecto de “borrada” e com qualidade inferior. Isso ocorre, principalmente, por causa da resolução HD (1280 x 720), insuficiente para os dias atuais.

Recordo também que o painel era bastante reflexivo, causando incômodo aos olhos com o passar das horas. A utilização em ambientes externos também não é aconselhada, principalmente quando o sol acaba espelhando na tela e é impossível visualizar qualquer coisa através dele.

Nesse caso, o modelo da Samsung ganha em disparada em todos os aspectos.

Câmeras

Ambos os aparelhos possuem exatamente a mesma configuração de lente. São 8 MP na traseira e 5 MP na face frontal dos dispositivos. Porém, a Samsung sai na frente, principalmente quando falamos da qualidade da imagem em aspecto geral.

Apesar de os sensores serem mais básicos e feitos para registros triviais, o aparelho da marca sul-coreana consegue mais nitidez, cores mais vivas e menos ruídos que o modelo da fabricante brasileira.

Foto tirada com o modo automático no Ultra U10

Amanda Abreu/Canaltech

Mesmo tirando fotos em dias parecidos, com luminosidade favorável e prestando atenção a todos os detalhes, a câmera traseira do Ultra sofreu bastante.

Todas as capturas ficaram borradas, com cores lavadas e com baixa resolução, deixando a dúvida do porquê ela foi utilizada na construção do produto.

Essas características são exatamente as mesmas quando falamos do sensor frontal. É perceptível a atenção a mais dada no Tab A7, mesmo os tablets sendo conhecidos por não entregarem boa qualidade nos registros. Mais um ponto para a Samsung.

Foto tirada com a câmera traseira do Tab A7

Amanda Abreu/Canaltech

Bateria

E vamos para o tópico que, na minha opinião, é o mais equilibrado entre os modelos: autonomia da bateria. O tablet da Samsung tem 7.040 mAh, já o Ultra fica um pouco abaixo, com seus 6.000 mAh.

O padrão utilizado para carregamento é do tipo USB-C. Além de mais resistente, é o mais usado na atualidade, facilitando a usabilidade para o usuário, já que não há a necessidade de carregar diversos cabos e carregadores para diferentes dispositivos.

A autonomia dos dois aparelhos foi bem próxima nos testes realizados por mim. Vale lembrar que nós sempre usamos o mesmo padrão de checagem da duração da bateria, através do app de streaming de vídeo Netflix.

Deixamos alguma série ou filme por três horas ininterruptas com o volume e brilho em 50% e, ao final do período, checamos o percentual consumido.

Foram usados 30% no Tab A7 contra 28% no U10, números bem aproximados e semelhantes. Com isso, estimamos que o aparelho da Samsung consiga autonomia estimada de 10h de reprodução de vídeo, enquanto o U10 fica com quase 11h.

Samsung Galaxy Tab A7 (2020) x Ultra U10: qual vale mais a pena?

Entre as características consideradas no nosso comparativo, o Galaxy Tab A7 (2020) é o melhor tablet entre os modelos.

Apesar de pouco mais de um ano de diferença entre eles, a versão da gigante sul-coreana é melhor construída e entrega maior performance mesmo para os dias atuais.

Sua tela com maior resolução; performance superior para tarefas corriqueiras; e conjunto de lentes com qualidade ligeiramente superior tornam o U10 uma alternativa não muito atrativa a se considerar.

Os preços dos modelos também são bem semelhantes — R$ 1.400, aproximadamente —. Logo, a marca estrangeira oferece mais por menos nessa comparação.