Comparativo Moto G71 vs Moto G60: a evolução que vale a pena

Por Felipe Junqueira | Editado por Léo Müller | 21 de Março de 2022 às 13h34

clique para compartilhar

Link copiado!

Moto G71
ver mais

O Motorola Moto G71 é uma espécie de sucessor do Moto G60. Com hardware um pouco melhorado, o dispositivo troca a bateria gigante e o conjunto de câmeras de altíssima resolução por uma tela OLED. Mas será que a mudança compensa?

Neste comparativo, você vai entender todas as diferenças entre os dois modelos da linha Moto G da Motorola. Ao final, eu ainda explico qual dos dois vale mais a pena, e também se compensa substituir um Moto G60 por um Moto G71.

Design e Construção

  • Moto G71: 161,2 x 73,9 x 8,5 mm, 179 g;
  • Moto G60: 169,6 x 75,9 x 9,8 mm, 225 g.

Pouco mudou no visual e na construção do Moto G60 para seu sucessor. Ambos possuem laterais e traseira em plástico, com módulo de câmeras no canto superior esquerdo em formato semelhante. O leitor de impressão digital no logo da Motorola está um pouco mais para baixo no Moto G71.

Na frente, toda protegida por um vidro, está a tela, com um furo central quase colado ao topo para a câmera de selfies. Para diferenciar Moto G71 e Moto G60, é preciso ter atenção a detalhes.

O modelo mais novo é menor em todas as dimensões, e também é mais leve. Além disso, tem cantos mais arredondados, incluindo o módulo de câmeras. Além disso, a proporção da tela faz com que a largura do G71 seja quase a mesma do G60, apesar da tela ter 0,4 polegada a menos.

Outra mudança está na localização do conector de fone de ouvido, que fica na parte inferior do celular mais novo, e na superior do Moto G60. Ambos possuem o botão exclusivo do Assistente do Google acima dos de volume, e o de energia mais ou menos no centro. Todos ficam na lateral direita do aparelho.

Nenhum dos dois smartphones possuem resistência a água ou poeira. Ambos possuem apenas um design que repele água, e é recomendável mantê-los longe de líquidos.

Tela

  • Moto G71: AMOLED de 6,4 polegadas com resolução Full HD+ (1080 x 2400 pixels), 60 Hz;
  • Moto G60: IPS LCD de 6,8 polegadas com resolução Full HD+ (1080 x 2460 pixels), 120 Hz.

A maior evolução do Moto G71 ante o Moto G60 é a tela. Ok, é verdade que a Motorola optou por um painel menor e sem taxa de atualização aumentada, mas agora é AMOLED. E isso significa contraste mais marcante, com preto profundo, e brilho muito mais alto.

Você sente a diferença principalmente ao usar o aparelho na rua. Mesmo sob a luz do sol, o modelo mais novo tem boa exibição. Além disso, fotos e vídeos ficam muito mais atraentes com o preto real, em vez de um cinza escuro como em telas IPS LCD.

E aí tem a questão da taxa de atualização da tela, que pode ser ajustada para o dobro no Moto G60 do que no Moto G71. Mas isso só faz diferença em alguns aplicativos de sistema, redes sociais e um ou outro jogo. Se você quer visualizar fotos ou reproduzir vídeos, pode ir no modelo mais novo sem medo.

Configuração e desempenho

  • Moto G71: Snapdragon 695 (2x 2,2 GHz Kryo 660 Gold + 6x 1,7 GHz Kryo 660 Silver), Adreno 619;
  • Moto G60: Snapdragon 732G Octa-core (2x 2,3 GHz Kryo 470 Gold + 6x 1,8 GHz Kryo 470 Silver), Adreno 618.

O Snapdragon 732G deve ser melhor que o Snapdragon 695, já que tem um número maior, certo? Errado. O segundo modelo é mais recente e traz arquitetura dos núcleos mais avançada e, portanto, consegue processar dados de maneira mais rápida e eficiente. Além disso, possui GPU um pouco mais potente.

Na prática, porém, eu vejo os dois celulares com capacidade muito semelhante até mesmo em tarefas mais exigentes. Você não vai ter problemas com jogos, especialmente se reduzir um pouco a qualidade gráfica, especialmente dos mais pesados. E ambos rodam bem os aplicativos mais comuns do dia a dia.

Mas tem uma vantagem bem grande do Moto G71 sobre o Moto G60: o suporte ao 5G. Ou seja, o Snapdragon 695 está mais preparado para o futuro, ao passo que o Snapdragon 732G só se conecta a redes 4G.

Com relação à memória, nenhuma diferença aqui: Moto G71 e Moto G60 possuem 6 GB de RAM e 128 GB de armazenamento interno.

Câmeras

  • Moto G71: 50 MP (f/1.8, principal) + 8 MP (f/2.2, ultra wide) + 2 MP (f/2.4, macro); 16 MP (f/2.2, frontal)
  • Moto G60: 108 MP (f/1.9, principal) + 8 MP (f/2.2, ultra wide/macro) + 2 MP (f/2.4, profundidade); 32 MP (f/2.2, frontal).

O conjunto fotográfico tem algumas mudanças, mas os resultados não chegam a se diferenciar tanto. Mesmo com um sensor de resolução menor, o Moto G71 consegue fotos bem parecidas com o Moto G60, já que ambos juntam pixels menores para entregar pixels maiores e aumentar a sensibilidade à luz.

Mas este é um dos menores problemas no quesito fotografia entre os celulares da Motorola. A empresa ainda precisa trabalhar melhor o software, que não consegue fazer uma leitura do cenário tão boa quanto suas concorrentes. O processamento também ainda tem muito a melhorar.

Por isso os celulares da marca invariavelmente entregam fotos com pouco equilíbrio na exposição, com faixa dinâmica baixa, e balanço de branco impreciso. Além disso, o processamento prioriza cores mais apagadas, o que resulta em fotos pouco atrativas para a maior parte do público.

Não há muita diferença neste sentido entre o Moto G71 e o Moto G60. Ambos entregam resultados muito parecidos, mas podem ser satisfatórios para algumas pessoas. E são bons para registros ocasionais.

A ultrawide usa praticamente o mesmo sensor em ambos e entrega resultados parecidos, com contraste agressivo e cores ainda mais apagadas que a principal. Já a macro é melhor no Moto G60, que usa o mesmo sensor do campo de visão ampliado e, com isso, oferece resolução melhor e foco mais preciso.

Moto G71: exemplos de fotos

Dá para fazer composições muito interessantes com a câmera do Moto G71, apesar das cores meio apagadas

Felipe Junqueira/Canaltech

Moto G60: exemplos de fotos

Nível de detalhes da câmera de 108 MP impressiona

Felipe Junqueira/Canaltech

Selfies e gravação de vídeos

A única câmera que eu vejo diferença importante é a frontal, ligeiramente melhor no Moto G71. Mesmo com um sensor de resolução menor, achei que o nível de detalhes é um pouco melhor no modelo mais novo do que em seu antecessor. Ambos são acima da média para a linha Moto G em relação às selfies.

Por fim, a gravação de vídeo é mais limitada no Moto G71, que só filma em Full HD, enquanto seu antecessor faz 4K com a principal. Porém, o modelo mais novo ganha um pouco em estabilização, um dos pontos fortes do aparelho.

Bateria

A diferença de carga de bateria entre os dois modelos é grande, de 1.000 mAh a mais no Moto G60 do que em seu sucessor. E os 6.000 mAh até podem entregar tempo de uso maior, mas os 5.000 mAh não ficam muito atrás.

O Moto G60 conseguiu uma estimativa de 27,3 horas de reprodução de vídeo na Netflix, considerando uso com Wi-Fi sempre ligado e tela em 50% do brilho. Nas mesmas condições, o Moto G71 chegou a uma previsão de 23 horas.

Em uso real, o modelo mais novo teve uma média de consumo de 3 pontos percentuais a cada hora, contra 3,25 p.p. de seu antecessor. Ou seja, curiosamente, o Moto G71 é mais econômico e pode até entregar um período maior longe da tomada na prática.

Sinal de que o chipset mais econômico e a tela OLED ajudam a reduzir o consumo. Mas é sempre bom lembrar que testes em ambientes controlados podem entregar resultados bastante diferentes. Questões como força do sinal de rede, brilho da tela e apps instalados podem causar variações no consumo.

Outro ponto de vantagem do Moto G71 é a recarga. Com um adaptador de parede de 33 W de potência e menos carga, o dispositivo pode ter a bateria totalmente preenchida em cerca de 1 hora. O Moto G60 vem com carregador de 20 W e precisa de mais de 2 horas para fazer o mesmo processo.

Moto G71 vs Moto G60: qual vale a pena?

Ficou claro que o Moto G71 é ligeiramente superior ao Moto G60, principalmente em relação à tela. Ainda tem desempenho um pouco melhor, câmeras com mais equilíbrio e até a bateria pode entregar duração maior. E tem o bônus do suporte ao 5G.

Sendo assim, a minha recomendação é para que você aposte no modelo mais novo, se estiver em dúvida entre os dois. Mas, se já possui um Moto G60, não vejo muita razão para fazer a troca agora. Até porque o 5G ainda não tem forte presença Brasil afora.

Motivos para optar pelo Moto G60 até existem. Se você fizer questão de uma tela maior ou gosta muito de tirar fotos macro são os principais. O preço também pode influenciar. Fora isso, tirando a tela, o modelo não fica muito atrás do Moto G71 em nenhum aspecto.

Você vai encontrar o Moto G71 na casa dos R$ 2.000, com potencial para baixar conforme o ano de 2022 se passar. Já o Moto G60 chegou a seu menor valor há algum tempo, quando ficou na casa dos R$ 1.400. Atualmente, está mais comum encontrá-lo por cerca de R$ 1.700, preço que tende a subir conforme o estoque esgotar no varejo.