Review Redmi Note 11 Pro 5G | Bom desempenho e câmeras respeitáveis

Por Bruno Bertonzin | Editado por Léo Müller | 09 de Março de 2022 às 14h45

clique para compartilhar

Link copiado!

Redmi Note 11 Pro 5G
ver mais

No começo de 2022 a Xiaomi atualizou seu portfólio de intermediários e lançou a nova geração de celulares custo-benefício da linha Redmi. Com isso, um dos modelos apresentados pela marca foi o Redmi Note 11 Pro 5G.

O dispositivo é mais voltado para um público que busca um aparelho já com suporte para rede 5G, sem abrir mão de um bom desempenho e, é claro, do preço mais baixo pelo qual a série Note já é popular.

Além de uma boa performance do processador, o aparelho entrega um conjunto respeitável de câmeras e uma bateria para um dia inteiro de uso. Mas será que o Redmi Note 11 Pro 5G é tudo isso, mesmo? Confira essa análise e conheça mais sobre ele.

Prós

  • Bateria de longa duração
  • Carregamento rápido de 67 W
  • Boa performance em jogos
  • Design premium e sofisticado
  • Áudio Estéreo

Contras

  • Sensor biométrico na lateral
  • Modo noturno da câmera não empolga

Design e Construção

Logo de cara, o Redmi Note 11 Pro 5G mostra que a Xiaomi não quis poupar dinheiro em caixa na construção do aparelho. Ele é feito com metal nas laterais e vidro na traseira, com um acabamento fosco que dá um aspecto muito agradável ao celular.

Apesar da estrutura mais premium, ele não é tão pesado — são 202 gramas. É claro que existem opções com bem mais leves, mas para um aparelho com vidro na frente e atrás, além de laterais de metal, está de bom tamanho.

O formato com bordas planas — que dá um aspecto mais “quadrado” — também melhora bastante a pegada e dá mais tranquilidade na hora de manusear o dispositivo.

Mas, de qualquer forma, eu não deixaria de usar uma capa protetora para garantir a segurança do dispositivo, já que qualquer queda pode danificar a traseira ou até mesmo o display.

Em relação às dimensões, ele é bem padrão e mede 164,19 x 76,1 x 8,12 mm. Tudo isso é muito bem aproveitado, já que as bordas são bem finas. Apenas a inferior é um pouco maior, mas não chega a ser grande, de qualquer forma.

Um ponto negativo é a presença do leitor de impressões digitais na lateral. Por ter uma tela AMOLED, a marca poderia inserir o sensor sob o display, mas preferiu não seguir este caminho.

A certificação de resistência contra poeira e água é apenas a IP56, então não espere muito dele, afinal só pode aguentar alguns respingos e não deve ser mergulhado na piscina, por exemplo.

Já a proteção da tela é feita pelo Gorilla Glass 5, que não chega a ser dos melhores, já que é de duas gerações atrás, mas ainda garante um pouco de resistência contra riscos.

Tela

O Redmi Note 11 Pro 5G conta com uma tela AMOLED de 6,67 polegadas com resolução de 1080 x 2400 pixels e taxa de atualização de até 120 Hz, que pode ser ajustada nas configurações do aparelho para um mínimo de 60 Hz.

A tela oferece, no geral, um nível de brilho muito alto e, graças a tecnologia AMOLED, pode poupar bastante bateria se o usuário definir o modo escuro e utilizar um papel de parede preto.

No sol, a tela fica bem clara e é possível enxergar os detalhes exibidos com bastante conforto. O dispositivo até oferece o “Modo Luz do sol”, que ajusta o brilho para a luz ambiente para impedir que a tela fique escura.

As cores no Redmi Note 11 Pro 5G são bastante intensas e fortes e isso torna o aparelho muito bom para assistir a filmes e séries ou simplesmente consumir redes sociais com bastante vividez.

A experiência de visualização é muito boa e, se definido para configuração de 120 Hz, é possível obter uma experiência bem fluida, principalmente em jogos ou para navegar no feed de redes sociais.

Eu devo destacar, no entanto, um problema que tive durante o meu uso do aparelho. Mesmo com nível definido no máximo e brilho automático desativado, a tela ficava reduzindo e aumentando a iluminação constantemente.

O problema se tornou ainda mais incômodo por eu estar usando o aparelho sob o sol, já que tornava a visualização mais difícil quando a luz da tela ficava mais baixa. Eu ainda tentei ativar e desativar novamente o brilho automático e o “modo luz do sol”, mas isso não resolveu a falha.

Configuração e Desempenho

O desempenho do Redmi Note 11 Pro 5G fica a cargo da plataforma móvel Snapdragon 695, que oferece dois processadores Kryo 660 Gold de 2,2 GHz e seis Kryo 660 Silver de 1,7 GHz.

O modelo oferece combinações de 6 ou 8 GB de RAM com 64 ou 128 GB de armazenamento interno e a unidade que recebemos para testes é a opção de 8 GB + 128 GB.

Para o teste de desempenho padrão, utilizamos o app 3D Mark e, nele, o celular atingiu 354 pontos na análise Wild Life Extreme Unlimited e 1.205 na Wild Life Unlimited.

Este número é, por exemplo, superior ao do Galaxy A72 — smartphone intermediário premium da Samsung que marcou 1.041 pontos no teste.

Também analisei a performance do Redmi Note 11 Pro 5G em jogos mais populares disponíveis na Play Store. Em Call of Duty: Mobile ou League of Legends: Wild Rift ele teve um bom desempenho, com bastante fluidez, mesmo com todas as opções gráficas configuradas no nível máximo.

Em ambos os títulos, eu tive uma experiência de jogo bem satisfatória, sem lag ou travamentos. Dessa forma, espera-se que ele se saia igualmente bem em outros games bem conhecidos, como Free Fire, Fortnite ou PUBG Mobile, por exemplo.

Em redes sociais e aplicativos mais comuns, também gostei bastante do desempenho do aparelho. A navegação é bem suave e ele executa as funções muito bem até mesmo para alternar entre vários aplicativos abertos.

O celular oferece NFC para pagamentos, Wi-Fi com bandas 802.11 a/b/g/n/ac e rede móvel 5G, apesar de a gente ainda não poder colocar essa à prova por aqui, já que a infraestrutura ainda não está devidamente instalada no Brasil.

Redmi Note 11 Pro 5G tem um excelente desempenho dentro de sua categoria, e a boa performance em jogos me chamou bastante atenção.

Bruno Bertonzin

Usabilidade

O Redmi Note 11 Pro 5G chega já com a interface mais recente da marca, a MIUI 13, instalada sob o Android 11. Isso quer dizer que ele pode ter alguns dos recursos mais recentes disponibilizados pela marca, mesmo que não conte com a versão mais atual do software do Google.

Um desses recursos é o Centro de Controle, que permite controlar funções rápidas de configurações, como Wi-Fi, Bluetooth e Rede Móvel em uma área separada das notificações.

Além disso, a alternância entre este Centro e as notificações está mais simples na nova versão — basta deslizar para o lado, sem precisar fechar um ou outro.

A MIUI também oferece uma boa customização da interface, com uma loja de temas repleta de opções. Nela, dá para baixar papéis de parede, bloqueios de tela, pacotes de fontes ou ícones para deixar o dispositivo ainda mais com a sua cara.

Outra vantagem do Redmi Note 11 Pro 5G é a presença de um sensor infravermelho. Dessa forma, o usuário pode configurar e controlar basicamente qualquer eletrônico pelo aplicativo Mi Remote — é claro, desde que eles sejam controlados por infravermelho.

Câmera

O Redmi Note 11 Pro 5G apresenta um conjunto de três câmeras traseiras: uma principal de 108 MP com abertura f/1.9, uma ultrawide de 8 MP f/2.2 e uma macro de 2 MP f/2.4. Para selfies, um sensor de 16 MP com abertura f/2.4 completa as configurações.

Câmera principal (108 MP)

A lente principal do Redmi Note 11 Pro 5G consegue entregar imagens muito boas, principalmente para um modelo intermediário. As fotografias contam com um ótimo equilíbrio de cores e bastante nitidez no modo “normal”.

Mesmo em ambientes bem ensolarados, é possível ter resultados muito bons, sem estourar o branco. A resolução também é digna de menção e as fotos obtidas com a lente do intermediário da Xiaomi entregam bastante detalhes sem perda de qualidade.

Há ainda um modo de 108 MP, para capturar imagens com ainda mais resolução e riqueza em detalhes. Essa função é ideal para fotografar cenários muito complexos ou obter fotografias que poderão ser aproximadas depois.

Câmera ultrawide (8 MP)

A câmera ultrawide perde um pouco da resolução, mas isso é normal em lentes dessa categoria, já que as marcas geralmente usam sensores menores. Neste caso, é um de 8 MP, mas a lente consegue trabalhar muito bem e oferece bastante nitidez.

Assim como a lente principal, a ultrawide também conta com um bom balanço de cores e as fotografias ficam em um nível muito bom. Essa câmera é muito indicada para obter imagens de cenários mais amplos e incluir mais itens de uma paisagem.

Câmera macro (2 MP)

A câmera macro, infelizmente, tem pouca resolução e, logo, não entrega imagens muito nítidas. Seu propósito, no entanto, é apenas capturar imagens aproximadas e, isso, ela faz muito bem com o modo “Super Macro”.

Câmera frontal (16 MP)

A câmera de selfies do Redmi Note 11 Pro 5G também entrega um bom resultado, muito alinhado com a categoria do aparelho. A imagem conta com uma resolução muito boa e com bastante detalhes.

A frontal peca, no entanto, no equilíbrio de cores. Em dias muito ensolarados pode haver um pouco de perda na qualidade e o branco fica um pouco estourado. Aí é necessário trabalhar um pouco mais no ajuste do foco para gerenciar um pouco o resultado final.

Modo retrato

O modo retrato do Redmi Note 11 Pro 5G funciona muito bem tanto com a câmera frontal quanto com a principal. Como não há uma lente dedicada para desfocar o fundo, o aparelho utiliza apenas a inteligência artificial, mas o resultado é muito satisfatório.

O recorte do fundo é feito com bastante precisão na câmera principal, enquanto a frontal não tem um resultado tão perfeito.

Nela, é possível ver a linha de corte em volta do corpo da pessoa — em vez de ficar bem rente a ele. No entanto, isso só é notado quando a imagem é aproximada, então olhos mais desatentos podem não notar.

Modo noturno

O Redmi Note 11 Pro 5G ainda conta com um modo noturno, que permite capturar imagens mesmo em ambientes com pouca iluminação.

No geral, ele age como outros celulares na mesma categoria — a câmera consegue clarear bem o ambiente, mas a perda de qualidade é visível, com bastante pixelização, conforme o nível de luz cai.

Gravação de vídeo

A gravação de vídeos no Redmi Note 11 Pro 5G oferece duas configurações para o usuário: a primeira com filmagem em 720p a 30 fps e a segunda com 1080p a 60 fps.

A qualidade de vídeo é boa, com uma captação de áudio decente. No entanto, o aparelho não oferece tanta estabilidade, então qualquer movimento mais brusco pode ser notado na filmagem.

Câmera principal — modo 108 MP

Bruno Bertonzin/Canaltech

O conjunto de câmeras do Redmi Note 11 Pro 5G é um de seus principais atrativos e chama bastante atenção pela resolução do sensor principal

Bruno Bertonzin

Sistema de Som

O intermediário da Xiaomi oferece uma configuração de áudio estéreo com três saídas de som — as duas principais ficam localizadas nas partes superior e inferior, enquanto a terceira é na saída de áudio de ligações.

Juntas, elas oferecem um volume máximo bem alto para ouvir músicas, mas a perda de qualidade é bem notória quando utilizada essa configuração. Principalmente em rock, o som fica bastante distorcido.

O som fica mais “normal” em um volume médio. Há bastante equilíbrio das frequências, sem grande destaque para os graves. Mas isso é comum em qualquer celular, não só em modelos da categoria do Redmi Note 11 Pro 5G.

Para assistir a filmes e séries em plataformas de streaming, porém, o sistema estéreo do celular entrega uma boa performance e permite aproveitar os conteúdos mesmo sem uma caixinha de som ou fone de ouvido.

Por falar em fone de ouvido, caso queira ouvir músicas com mais qualidade, o Redmi Note 11 Pro 5G oferece uma porta P2 dedicada para os acessórios com plugue de 3,5 mm.

Bateria e Carregamento

O Redmi Note 11 Pro 5G conta com uma bateria com capacidade de 5.000 mAh que, na prática, oferece uma autonomia de mais de um dia de uso com bastante tranquilidade. No dia-a-dia, ele foi bem competente para atingir isso e ainda sobrava um pouco de carga para o dia seguinte.

No nosso teste padrão, reproduzi três horas de conteúdos na Netflix com brilho ajustado na metade e o consumo foi de apenas 13%. Dessa forma, é estimado que ele dure algo próximo de 23 horas no mesmo cenário.

Outra vantagem é o carregamento que, graças ao acessório de 67 W incluso no kit, é muito rápido. Aqui, para ir de 15% a 100%, ele levou cerca de 55 minutos. Esse tempo, porém, pode variar de acordo com os aplicativos ou funções executadas em segundo plano.

Mais uma vez, um celular da Xiaomi me surpreendeu com o carregamento. Mesmo com uma bateria de 5.000 mAh, o Redmi Note 11 Pro 5G pode ser carregado em menos de uma hora.

Bruno Bertonzin

Concorrentes Diretos

O Redmi Note 11 Pro 5G é um forte concorrente para modelos de fabricantes já consagradas no Brasil, como o Galaxy M52 5G da Samsung e o Moto G71 5G.

Para começar, como seus nomes já sugerem, todos os modelos já contam com suporte para a conexão de rede da nova geração, o que deixa eles aptos para quem busca um celular que não envelhecerá tanto por um bom tempo.

Outra vantagem é que todos eles possuem um chip da Qualcomm, já que muitos dos brasileiros preferem modelos equipados com Snapdragon em vez das alternativas com MediaTek ou Exynos.

O Redmi e o Motorola, porém, perdem um pouco em desempenho, já que seus Snapdragon 695 oferecem uma performance ligeiramente inferior do processador e da placa gráfica em relação ao Snapdragon 778G do Galaxy M52.

Para quem busca um modelo com câmeras mais robustas, o Redmi pode agradar bastante, já que oferece um sensor principal de 108 MP, enquanto o do Moto G71 é de 50 MP e o do Galaxy é de 64 MP. Para selfies, porém, o Samsung conta com uma lente de 32 MP contra 16 MP dos adversários.

Pela faixa de preço, vale mais a pena optar pelo modelo da Samsung — ele pode ser encontrado por cerca de R$ 1.700 no mercado, enquanto o preço do Moto G71 varia em torno de R$ 2.300.

O modelo da Xiaomi, por sua vez, ainda não é vendido oficialmente no Brasil. Ele pode ser encontrado para venda no AliExpress, com valores entre R$ 1.700 e R$ 2.000, mas corre o risco de haver taxas para a importação.

Redmi Note 11 Pro 5G vale a pena?

O Redmi Note 11 Pro 5G é um excelente aparelho para quem busca um celular intermediário com preço mais acessível. Ele oferece um bom conjunto de hardware, com chipset intermediário de bom desempenho e câmeras que entregam ótimas imagens dentro da categoria.

Um ponto negativo é que ele ainda não é facilmente encontrado para importação, por se tratar de um modelo novo. De qualquer forma, ele já está disponível no AliExpress com preços de até R$ 2.000.

A bateria é outro ponto forte do aparelho e ele pode ficar mais de um dia longe da tomada e tem carga rápida que permite encher a capacidade em menos de uma hora, com carregador de 67 W incluso no kit.

Para quem não quer importar e procura um modelo equivalente, uma boa opção é o Galaxy M52, que está disponível no Brasil na mesma faixa de preço e entrega um processador mais potente. Ele só perde nas câmeras, já que o Redmi Note 11 Pro 5G tem um sensor de 108 MP.