Review POCO X4 GT | Um bom celular com o preço errado

Por Bruno Bertonzin | Editado por Léo Müller | 21 de Setembro de 2022 às 14h52
Ivo Meneghel Jr/ Canaltech

Em junho de 2022 a Xiaomi lançou a nova geração da linha GT e trouxe ao mercado global o Xiaomi Poco X4 GT. O smartphone se destaca pelos aspectos voltados ao público gamer e pelas especificações bem generosas.

Mas será que ele evoluiu bem em relação à geração anterior? O Poco X3 GT — que também testei no final do ano passado — já oferecia um bom desempenho para jogos e tem um conjunto de câmeras que se destaca entre os celulares da marca, então vale a pena este upgrade?

Nessa análise, levanto os principais pontos positivos e negativos do celular, para te ajudar a decidir se vale a pena ou não comprar o aparelho. Confira:

Prós

  • Excelente desempenho para jogos
  • Câmeras com boa qualidade dentro da categoria
  • Tela com taxa de atualização de 144 Hz

Contras

  • Tecnologia da tela inferior

Design e construção

Em relação ao design, o Xiaomi POCO X4 GT mudou bastante quanto ao seu antecessor. O aparelho deixou de lado o visual com três câmeras alinhadas verticalmente e adotou uma estrutura que organiza o trio de lentes traseiras como um “triângulo”.

Todos os sensores permanecem dentro de um módulo saltado, mas as duas maiores são ainda mais protuberantes e isso deixa o smartphone com um aspecto de “três camadas” na traseira.

O acabamento é feito em plástico, mas o tom fosco dá a ele um aspecto mais sofisticado. O design premium segue com as laterais em metal, que abrigam o conjunto de teclas físicas na direita, um conector para fones de ouvido na parte superior e o slot de SIM Card e entrada USB-C embaixo.

POCO X4 GT tem um módulo de câmeras saltados com as lentes ainda mais sobressalentes (Imagem: Ivo Meneghel Jr/ Canaltech)

Por falar nisso, ele possui a gaveta com espaço para dois chips de operadoras, mas não há suporte para cartão de memória. Então se o armazenamento for algo muito importante para você, é melhor optar pela versão mais completa. Mas falarei melhor sobre isso mais adiante.

Apesar de todo esse material, o aparelho é relativamente leve, com 200 gramas — o que está bem na média dos smartphones mais encorpados. Suas dimensões são de 163,6 x 74,3 x 8,9 mm. Ele oferece uma pegada bem confortável e dificilmente escorrega das mãos.

Tela

Outro importante avanço em relação à geração passada é a taxa de atualização do display. Enquanto o POCO X3 GT tinha uma já bem rápida, com 120 Hz, a nova geração é ainda melhor, já que o POCO X4 GT possui 144 Hz. Como efeito de comparação, é a mesma frequência do Moto G200 ou de celulares gamers, como o Black Shark 5 Pro.

Alguns aspectos do display seguem o mesmo: ele continua com um painel IPS LCD de 6,6 polegadas, mas agora tem uma resolução de 1080 x 2460 pixels, densidade de 407 ppi e é protegido pelo vidro Gorilla Glass 5, em vez do Victus presente no antecessor — um pequeno downgrade.

Na prática, tudo isso oferece um ótimo desempenho geral. O painel é bem rápido para aproveitar jogos com bastante ação, como CoD Mobile ou outros títulos fps, e também permite uma navegação extremamente suave nos feeds de redes sociais.

POCO X4 GT tem uma tela IPS LCD de 6,6 polegadas (Imagem: Ivo Meneghel Jr/ Canaltech)

A tecnologia IPS LCD empregada ainda deixa um pouco a desejar em relação ao brilho. Em dias bem ensolarados, por exemplo, mesmo o nível máximo pode ficar um pouco fraco para enxergar bem as informações na tela. Mas isso só será realmente um incômodo se você for bastante exigente neste aspecto.

É curioso ver a marca insistindo nesse tipo de display, já que outros modelos intermediários, até mesmo mais baratos — como o Redmi Note 11 — já utilizam um painel AMOLED.

Configuração e desempenho

O POCO X4 GT é equipado com a plataforma móvel Dimensity 8100 da MediaTek — um avanço interessante em relação ao Dimensity 1100 presente no seu antecessor. Aliado a isso, o aparelho tem opções de 8 GB de memória RAM e 128 GB ou 256 GB de armazenamento interno.

Na prática, tudo isso resulta em uma performance bem lisa para executar praticamente qualquer função no celular.

Até mesmo jogos bem pesados, como Call of Duty: Mobile, são rodados com muita fluidez mesmo com as configurações gráficas definidas no máximo. Aqui, além de CoD, também joguei bastante League of Legends: Wild Rift e em nenhum dos dois games notei qualquer tipo de lentidão ou engasgos.

Conjunto de hardware do POCO X4 GT é bem atrativo (Imagem: Ivo Meneghel Jr/ Canaltech)

E não é só para games que o telefone é indicado. Sua combinação de um chipset poderoso e uma memória generosa permitem ter uma boa experiência multitarefas, com bastante agilidade para alternar entre vários apps abertos em segundo plano.

No nosso teste de desempenho padrão, o POCO X4 GT atingiu a marca de 5.597 pontos na análise Wild Life Unlimited e 1.197 Wild Life Extreme Unlimited, ambos do aplicativo 3D Mark. Como efeito de comparação, esse resultado é superior ao do Moto G200, que já possui um chipset topo de linha.

É importante destacar também que o POCO X4 GT tem suporte para rede 5G, então é um modelo que não ficará “ultrapassado” ao longo dos próximos anos, principalmente se considerarmos que a rede móvel da nova geração já começou a ser implementada em algumas cidades brasileiras.

"O desempenho do POCO X4 GT é seu grande destaque. O aparelho conseguiu superar o antecessor e se destaca como uma das melhores opções da marca para quem procura um smartphone de baixo custo para jogos."

— Bruno Bertonzin

Usabilidade

O POCO X4 GT chegou às lojas com o Android 12 instalado de fábrica, sob a interface da MIUI 13. Isso quer dizer que ele já conta com recursos mais atuais e é bem provável que esteja entre os modelos da Xiaomi que receberão o update para o Android 13.

A interface oferece uma navegação bem amigável e intuitiva. A presença do Centro de Controle, por exemplo, ajuda a ter um acesso melhor às notificações e configurações rápidas.

O sistema operacional também oferece várias opções de personalização, com uma loja nativa de temas que permite alterar papel de parede, tela de bloqueio, visual do Centro de Controle ou até mesmo as fontes e ícones.

Câmera

O POCO X4 GT conta com um conjunto de três câmeras traseiras, sendo uma lente principal de 64 MP, auxiliada por uma ultrawide de 8 MP e uma macro de 2 MP. Para selfies, o celular tem uma câmera frontal com resolução de 16 MP.

Configuração tripla para a câmera traseira

A câmera principal — que tem abertura f/189 — permite obter fotografias com ótimas definição e textura. O nível de cores também é muito bom e o resultado são fotografias bem vivas e realistas. A lente ultrawide segue esses aspectos e não há nenhuma perda de qualidade em relação ao sensor principal.

Já a macro peca um pouco em definição, mas isso é um mal comum em vários modelos com um sensor de 2 MP para esse propósito. O aparelho consegue captar com bastante precisão alguns detalhes minúsculos, mas a resolução é bem baixa, o que acaba comprometendo bastante a qualidade no geral.

Modo retrato bem preciso

Assim como no antecessor, o POCO X4 GT não tem uma câmera dedicada para profundidade e o software faz todo o trabalho de desfocar o fundo e dar destaque ao elemento principal. Ainda assim, a inteligência artificial faz isso com muita maestria, e o recorte é quase perfeito.

Recorte do modo retrato no POCO X4 GT é feito com bastante precisão (Imagem: Bruno Bertonzin/Canaltech)

O celular ainda oferece a opção de aumentar o nível de desfoque no fundo após a captura. Para isso, basta abrir a galeria, selecionar a foto feita no modo retrato e clicar em um ícone que aparece no canto inferior da imagem.

Outro ponto importante é que o modo retrato funciona tanto para a câmera traseira quanto para a frontal. Dessa forma, também é possível obter fotografias com fundo desfocado enquanto tira selfies.

Gravação de vídeo

O POCO X4 GT oferece uma boa qualidade de gravação, tanto na câmera frontal quanto na traseira. Nos dois cenários, o nível de definição é bem alto, e os vídeos ficam bem nítidos. O celular permite gravar com resolução até 4K a 30 fps na câmera traseira e 1080p a 60 fps na frontal.

No exemplo de vídeo feito com a câmera principal, eu narro que a gravação foi feita com resolução 4K a 60 fps, no entanto, a taxa de quadros foi de 30 fps — o smartphone não oferece um modo para filmagem em 4K com a taxa de quadros mais alta.

"O POCO X4 GT conta com um conjunto respeitoso de câmeras, segue os passos do antecessor e é uma boa aposta para quem quer um smartphone que tire fotos com boa nitidez e definição de imagem."

— Bruno Bertonzin

Sistema de som

O POCO X4 GT tem uma configuração de som estéreo com três saídas de áudio para reprodução de mídia — uma na parte inferior do telefone, outra na parte superior e uma terceira mais discreta no alto-falante.

A qualidade sonora é, no geral, muito boa e mesmo em um volume máximo não há muita distorção. O volume é bem padrão e permite preencher bem um cômodo, mas nada muito exagerado.

Bateria e carregamento

O POCO X4 GT conta com uma bateria de 5.080 mAh, que garante uma boa autonomia e permite que o celular passe um dia longe das tomadas — dependendo de um uso mais moderado, é claro.

No nosso teste padrão, o aparelho gastou apenas 17% de carga após três horas de reprodução de filmes na Netflix com brilho ajustado em 50%. Neste cenário, é estimado que ele chegue a 17 horas de duração.

No dia-a-dia, o resultado é bem parecido. Aqui, com brilho alternando entre o médio e o máximo e usando tanto a internet móvel quanto o Wi-Fi para acessar redes sociais ou jogos, ele mostrou uma boa performance para chegar a um dia de uso.

POCO X4 GT tem uma bateria que permite chegar a mais de um dia de uso (Imagem: Ivo Meneghel Jr/ Canaltech)

É claro que isso se refere a um uso mediano e, se usar de forma mais intensa, talvez seja necessária uma carga adicional antes do fim do dia.

Quanto ao carregamento, o kit inclui um carregador de 67W, que permite encher a bateria de 15% a 100% em apenas uma hora.

Concorrentes diretos

Os principais concorrentes do POCO X4 GT no mercado brasileiro são o Samsung Galaxy S21 FE e o Moto G200. Os três smartphones se destacam por oferecer especificações mais avançadas por um preço mais acessível.

A começar pelo chipset, todos os modelos são bem equivalentes. O Samsung é equipado pelo Exynos 2100, o Motorola possui o Snapdragon 888 Plus, enquanto o modelo da Xiaomi possui o MediaTek Dimensity 8100. Apesar de cada um ter frequências bem diferentes, na prática, o desempenho é muito parecido.

A diferença fica mais para as demais especificações. O Galaxy S21 FE, por exemplo, se destaca por oferecer um sistema mais bem desenvolvido e com mais updates, além da tela com exibição mais vívida e um conjunto de câmeras mais eficiente, que entrega fotografias com mais definição e nitidez.

Samsung Galaxy S21 FE é um dos principais concorrentes ao POCO X4 GT (Imagem: Ivo Meneghel Jr/Canaltech)

O Motorola, por outro lado, se destaca mais pela bateria. O sistema da empresa, geralmente mais limpo, consegue gerenciar bem o gasto energético — o que resulta em uma economia maior. Além disso, ele é bem mais generoso com sua memória RAM, já que são 12 GB contra 8 GB do Xiaomi e 6 GB do Galaxy.

Quanto à faixa de preço, Moto G200 e Galaxy S21 são mais acessíveis e custam entre R$ 2.200 e R$ 2.500, com garantia oficial no Brasil. Já o POCO X4 GT é um pouco mais caro: em torno de R$ 2.700 e R$ 3.000.

POCO X4 GT é um Xiaomi que não tem tanto custo-benefício

A Xiaomi sempre se destaca pelo custo-benefício, mas o POCO X4 GT não entra nessa lista. Com um preço menos acessíveis do que os concorrentes e disponível somente por importação, ele se torna uma opção pouco atraente no mercado brasileiro.

Não que seu desempenho e características sejam ruins — muito pelo contrário. Seu desempenho é excelente dentro da categoria e ele entrega um conjunto de hardware bem atrativo.

No entanto, pela faixa de preço que ele é encontrado, vale mais a pena optar pelos modelos que já são vendidos oficialmente no nosso país e, consequentemente, tem garantia legal por aqui.