Review TCL 20B | Um celular simples com preço acima da média

Por Bruno Bertonzin | Editado por Léo Müller | 17 de Janeiro de 2022 às 17h39
Ivo Meneghel Jr/ Canaltech

Em setembro do ano passado, a TCL apresentou um novo modelo de celular de entrada, o TCL 20B. O dispositivo chegou ao mercado brasileiro apenas em dezembro com um preço um tanto salgado — nada menos do que R$ 1.999.

Com especificações simples e chipset pouco utilizado em celulares bem conhecidos por aqui, o aparelho chega ao nosso país para concorrer com telefones mais simples de marcas como Samsung, Motorola e Xiaomi.

Mas será que vale a pena desembolsar essa quantia pelo smartphone da marca chinesa? Suas características e desempenho fazem jus ao preço? Confira essa análise completa e tire suas conclusões.

Prós

  • Câmera principal de 50 MP
  • Tecla para acesso direto ao Google Assistente

Contras

  • Preço
  • Chipset de baixa performance
  • Áudio muito baixo

Design e Construção

Apesar de ser um modelo básico, o TCL 20B apresenta uma construção com a proposta de design mais sofisticado. O corpo é todo feito em plástico, mas a traseira tem um acabamento brilhante e reflexivo — que imita um espelho.

As bordas traseiras são levemente curvadas na lateral — o que ajuda a melhorar a pegada e dá mais conforto para segurar o celular, que não é nada pequeno com dimensões de 164,7 x 74,68 x 7,99 mm. O conforto é ainda maior se considerarmos que o dispositivo é consideravelmente leve, com 178 gramas.

Ainda na parte de trás, ele conta com um espaço dedicado para o sensor de impressões digitais, em uma posição agradável para desbloqueá-lo com facilidade.

Já o módulo de câmeras fica posicionado no canto superior esquerdo e inclui duas lentes e uma unidade de flash LED. Há, ainda, um terceiro recorte no módulo, que dá a impressão de ter mais um sensor. Mas é apenas para ilustrar o telefone — ou tentar enganar o usuário.

TCL 20B tem módulo com conjunto duplo de lentes (Imagem: Ivo Meneghel Jr/ Canaltech)

Uma particularidade desse telefone é a presença de uma tecla física adicional. Além dos botões padrões para ligar/desligar ou controlar o volume — que ficam na lateral direita — o TCL 20B ainda conta com um acesso dedicado para o Google Assistente no lado esquerdo, logo abaixo da gaveta para os chips de operadora.

Para finalizar, o telefone tem um conector para fones de ouvido com plugue de 3,5 mm na parte superior, assim como um microfone, enquanto a parte de baixo abriga o speaker do alto-falante e a entrada USB-C para carregamento.

Tela

O TCL 20B é equipado com uma tela IPS LCD de 6,52 polegadas com taxa de atualização de 60 Hz e densidade de 269 ppi. O painel é recortado por um entalhe em forma de gota, mas os usuários que ainda não se acostumaram com essa tendência podem “ocultá-lo” nas configurações do dispositivo.

O display é grande o suficiente para assistir a filmes e séries com bastante conforto, além de aproveitar jogos em tela-cheia. O brilho máximo é agradável, mas em ambientes bem iluminados — sob um sol forte, por exemplo — talvez ainda seja difícil enxergar algumas informações, algo comum em telas IPS.

TCL 20B tem tela de 6,52 polegadas com taxa de atualização de 60 Hz (Imagem: Ivo Meneghel Jr/ Canaltech)

Também não espere muito das cores, já que essa tecnologia de tela não entrega resultados tão bons como uma AMOLED, por exemplo. No TCL 20B, temos imagens não tão vivas, com cores “comuns”. O celular até conta com o modo “NXTVISION”, que aumenta o contraste e dá cores mais vívidas, mas não é nada milagroso.

  • Tela IPS LCD de 6,52 polegadas
  • Taxa de atualização de 60 Hz
  • Densidade de 269 ppi

Configuração e Desempenho

O desempenho do TCL 20B fica a cargo da plataforma móvel do MediaTekHelio A25, chip mais básico da fabricante tailandesa — ainda mais simples que modelos de entrada da marca, como o popular Helio P25. Ele roda com quatro núcleos a 1,5 GHz e os outros quatro são de 1,8 GHz.

Isso entrega uma performance bem básica, até mesmo para tarefas mais simples. É possível utilizar redes sociais e mensageiros — como WhatsApp ou Telegram — mas há uma pequena lentidão para abrir esses apps e alguns engasgos na navegação.

Para jogos, é possível ter uma experiência aceitável em títulos mais leves, como os clássicos jogos de sinuca ou opções como Candy Crush, por exemplo.

Jogos como Modern Combat ou PUBG Mobile até podem ser executados, mas demoram muito para carregar e é necessário reduzir suas propriedades gráficas para evitar travamentos.

O TCL possui especificações simples e é equipado com chip de entrada da MediaTek (Imagem: Ivo Meneghel Jr/ Canaltech)

No nosso teste de performance padrão, o dispositivo atingiu a marca de 494 pontos na análise Sling Shot Extreme Unlimited, do app 3DMark, e 858 pontos no Sling Shot Unlimited da mesma aplicação. Isso é apenas 5% a mais do que os testes do mesmo smartphone.

Como efeito de comparação, o Redmi 9A — que é equipado com o MediaTek Helio G25, mas possui apenas 2 GB de RAM e 32 GB de memória interna — atingiu, respectivamente, 467 e 804 pontos nos mesmos testes.

O aparelho conta com uma combinação de 4 GB de memória RAM com 64 GB de armazenamento interno. Isso é apenas o suficiente para armazenar aplicativos cotidianos, como redes sociais e apps de bancos, além de salvar fotos e vídeos, mas com o tempo pode ser preciso usar um cartão de memória para aumentar essa capacidade.

Em termos de conectividade, ele conta com Bluetooth 5.0 e Wi-Fi 802.11b/g/n. Isso quer dizer que você ficará limitado à conexão de internet de 2,4 GHz, sem suporte a velocidades mais rápidas com bandas de 5,0 GHz.

  • Chipset: MediaTek Helio A25
  • 4 GB de RAM
  • 64 GB de armazenamento interno

Câmera

O TCL 20B conta com um conjunto duplo para a câmera traseira, mas apenas uma delas serve, de fato, para fotografar. O aparelho tem uma lente principal de 50 megapixels, que é auxiliada por um sensor de profundidade de 2 MP — útil apenas para aplicar efeitos de desfoque no modo retrato, por exemplo.

Na frente, o modelo conta com uma lente de 8 MP, para capturar selfies ou permitir que o usuário participe de videochamadas.

Câmera traseira — modo automático

Com a câmera traseira é possível fotografar em quatro modos — automático, retrato, alta-resolução ou profissional.

No primeiro deles, a imagem é bem simples: captura todo o ambiente e tem um zoom de até 4 vezes. Como o celular só conta com estabilização digital, qualquer movimento — por mais imperceptível que seja — pode deixar a imagem um pouco tremida.

Quando bem estável, porém, é possível obter fotografias aceitáveis, sem grande riqueza em detalhes, como cores, mas que mostra bem a proposta do smartphone.

Também notei que o pós-processamento da imagem demora bastante para agir. Dessa forma, é recomendável que mantenha a mão estável mesmo depois de clicar no ícone do obturador, para evitar que a imagem saia tremida ou que mude completamente o objeto focado.

Por conta dessa demora no pós-processamento, aconteceu algumas vezes comigo, por exemplo, de eu acabar fotografando minha mão ou imagens completamente borradas por ter movido o celular após a captura.

Antes de seguir para o próximo tópico, é importante dar um ponto para o celular: quando o zoom de até 2 ou 4 vezes está aplicado, a imagem mantém bastante a resolução boa, como se não tivesse aproximado a foto.

Câmera traseira configurada no modo automático (Imagem: Bruno Bertonzin/Canaltech)

Câmera principal — modo retrato

É aqui que a segunda lente do TCL 20B entra em ação. Ela não captura a imagem, mas aplica o efeito desfocado no fundo do objeto principal.

O celular, infelizmente, não faz isso com muita maestria e, algumas vezes, deixa partes do item em destaque desfocado. Isso acontece porque os sensores não fazem um recorte adequado do que está centralizado.

Em fotos de pessoas, por exemplo, pode acontecer de a orelha ou partes dos cabelos ficarem desfocados. Em objetos, peças menores também ficam recortadas do item principal.

Câmera principal — modo de alta resolução

Há ainda um modo de alta resolução, que tem como propósito obter o máximo de resolução do sensor de 50 megapixels do TCL 20B.

Com ele, é possível obter imagens com um pouco mais de riqueza de detalhes. As cores ficam um pouco mais intensas e vívidas, além de capturar com mais precisão itens mais complexos, como folhas de árvores, por exemplo.

Imagem capturada com o modo de alta resolução do TCL 20B (Imagem: Bruno Bertonzin/Canaltech)

Câmera principal — modo profissional

Já o modo profissional é mais voltado para os entusiastas de fotografia. Aqui é possível ter um controle maior sobre alguns aspectos da imagem, como balanço de branco, ISO, foco, entre outras características.

Nele, as possibilidades de resultados são maiores, já que o usuário pode tirar fotos específicas para cada cenário, como com baixa ou alta iluminação, luz natural ou artificial, ambiente interno ou externo, etc.

Câmera frontal

Por fim, a câmera frontal também permite fotografar em dois modos: normal ou retrato. Em ambos, temos resultados medianos — mas comum para a categoria.

No modo normal, tanto em cenários com baixa quanto com alta iluminação, a presença de detalhes é baixo. As imagens não saem granuladas, como costuma acontecer com câmeras de celulares mais simples, mas não espere muito em relação à resolução. Quando aproximadas, por exemplo, a perda de qualidade é muito maior.

Já para o modo retrato, o celular precisa fazer “milagres” com apenas uma lente frontal. Na ausência de um segundo sensor que atuaria para aplicar o filtro de profundidade, o TCL 20B apela para o software para desfocar a imagem.

Dessa forma, o resultado é ainda menos proveitoso se comparado com o modo retrato da câmera traseira. Aqui, temos um recorte menos preciso do objeto principal.

Neste exemplo abaixo, é possível ver que o fone de ouvido na minha orelha ficou completamente borrado e “se mistura” ao fundo da foto. Dá até a impressão de que um pedaço da orelha é cortado.

Selfies com o modo retrato ativado não contam com um bom recorte no TCL 20B (Imagem: Bruno Bertonzin/Canaltech)

"A câmera, apesar de ter apenas um sensor, é um dos principais destaques do TCL 20B. Com uma lente principal de 50 MP é possível ter fotografias com bastante detalhes, apesar de também não ser as melhores do segmento."

— Bruno Bertonzin

Sistema de Som

O TCL 20B conta com um sistema mono para o alto-falante, ou seja, ele tem apenas uma saída de áudio. Dessa forma, não é possível esperar muita qualidade do som.

Mesmo assim, seu desempenho é ainda inferior se comparado com outros modelos com áudio mono.

O volume máximo é bastante baixo e, quando definida nesta configuração, as músicas ficam bem distorcidas, com frequências médias e baixas praticamente indecifráveis, enquanto os graves são quase nulos.

Em um volume médio, porém, é possível destacar melhor cada instrumento de uma música, mas ainda não considero que a performance seja boa.

É um som que “quebra o galho”, mas se você quiser aproveitar melhor os conteúdos de mídia, é melhor apostar em uma caixa de som ou fone de ouvido com mais desempenho.

Bateria e Carregamento

O TCL 20B é alimentado por uma bateria de 4.000 mAh — o que já é considerado pouco, se considerarmos que muitos aparelhos já chegam com pelo menos 5.000 mAh.

De qualquer forma, o componente não deixa a desejar. Poderia ser melhor, mas ainda temos um aparelho que pode chegar a um dia longe das tomadas.

No nosso teste padrão de bateria, assisti a três horas de filme na Netflix, com brilho ajustado em 50%. Neste cenário, o dispositivo consumiu 20% da bateria. Dessa forma, podemos estimar que ele chegaria a 15 horas de reprodução direta, com uma única carga.

Em um uso cotidiano, ele também apresenta um bom desempenho. Com o uso constante de redes sociais — como Twitter e Instagram — ou dos mensageiros Telegram e WhatsApp, ele pode chegar a ter uma duração de 10 a 15 horas.

TCL 20B conta com entrada UBS-C para carregamento (Imagem: Ivo Meneghel Jr/ Canaltech)

No meu teste, utilizei bastante esses serviços por mais de três horas — com Bluetooth e rede móvel ligada durante boa parte — e o consumo foi de cerca de 25%.

Neste período, é importante destacar, também ouvi bastante música no Spotify, com qualidade de reprodução alta.

O carregamento é outra coisa que deixa a desejar. Na ausência do suporte para carga rápida, o telefone leva cerca de duas exaustivas horas para carregar de 5 a 100% — não é muito, mas certamente incomoda quem precisa de mais agilidade para abastecer a bateria antes de sair de casa.

Concorrentes Diretos

Falar de concorrentes para o TCL 20B é complicado por um motivo bem simples: ele é um celular simples, com especificações bem básicas, mas com um preço que beira intermediários premium — ele custa R$ 1.999 em sua loja oficial e pode ser encontrado entre R$ 1.300 e R$ 1.700 no varejo.

Se formos considerar apenas suas especificações, por exemplo, ele está em um nível próximo ao Samsung Galaxy A03s — que é encontrado em uma faixa de preço entre R$ 800 e R$ 1.000 — ou ao Moto E40, que varia entre R$ 1.000 e R$ 1.200.

Em termos de características, os três modelos contam com uma combinação de 4 GB de RAM com 64 GB de armazenamento interno. No entanto, os dois rivais contam com chips mais potentes: o celular da Samsung é equipado com o MediaTek Helio P35 e o Motorola com um Unisoc T700.

Em câmeras, estes concorrentes também têm mais a oferecer — o celular sul-coreano tem um conjunto triplo com lentes de 13 MP + 2 MP + 2 MP, contra um grupo de 48 MP + 2 MP + 2 MP do Motorola. O TCL 20B, por sua vez, tem uma dupla de 50 MP + 2 MP.

A derrota da TCL também acontece em relação à bateria. Com apenas 4.000 mAh, o TCL 20B fica bem atrás dos dois rivais, com 5.000 mAh cada um.

Na faixa de preço que o TCL 20B é oferecido, é possível encontrar alternativas melhores, como o Moto G60 (Imagem: Ivo Meneghel Jr/ Canaltech)

Portanto, se você busca um celular simples, compensa mais dar atenção às marcas mais tradicionais no mercado brasileiro, como a Samsung ou a Motorola.

Já se estiver disposto a investir um pouco mais — com um desembolso entre R$ 1.700 ou R$ 2.000, que é o preço cobrado oficialmente na loja da TCL — dá para comprar um dispositivo bem mais potente, como o Moto G60.

Este smartphone conta com uma combinação de 6 GB de RAM com 128 GB de armazenamento interno e ainda possui um chip mais avançado, o Snapdragon 732G. O conjunto de câmera é ainda melhor, com uma configuração tripla de 108 MP + 8 MP + 2 MP.

O Moto G60 pode ser encontrado facilmente com preços entre R$ 1.500 e R$ 2.000 nas principais lojas online do país.

"O TCL 20B entrega um desempenho muito simples para um celular de R$ 2.000. Nessa faixa de preço é possível pegar celulares bem melhores da Samsung ou Motorola."

— Bruno Bertonzin

Preço alto demais a se pagar por um celular básico

A TCL foi bem ousada na hora de precificar seu telefone. Com características simples, o TCL 20B chega ao mercado com preço de intermediário premium — nada menos do que R$ 1.999. Tudo bem, é possível encontrar ele no varejo até R$ 400 mais barato, mas fica difícil entender a proposta da marca.

Com esse dinheiro, por exemplo, é possível comprar um celular bem mais avançado — como o Moto G60 — e ainda sobra um pouco para um cartão de memória ou para assessórios para ele.

O TCL 20B entrega uma performance básica para o uso diário, com pequenos engasgos até para rolar o feed do Twitter, por exemplo. Em jogos, a qualidade gráfica é bem comprometida para evitar lags.

TCL 20B é oferecido em um preço muito alto para sua categoria (Imagem: Ivo Meneghel Jr/ Canaltech)

A câmera pode ser considerada seu grande forte, apesar da presença de apenas duas lentes. Seu sensor principal de 50 MP captura imagens razoáveis, mas, de novo, nessa faixa de preço é possível conseguir algo melhor.

A performance da bateria também é aceitável. Com um uso moderado ele pode ficar um dia comercial inteiro longe da tomada, então você poderá sair de casa sem se preocupar muito com isso.

De qualquer forma, o TCL 20B não seria a minha primeira opção se eu quisesse comprar um celular de dois mil reais neste momento. Eu provavelmente iria em um Moto G60 ou até investiria um pouco mais para pegar um intermediário premium da Samsung, por exemplo.