Review QCY T18 | Fone de ouvido simples, mas bom e barato

Por Bruno Bertonzin | Editado por Léo Müller | 08 de Dezembro de 2022 às 17h58

clique para compartilhar

Link copiado!

QCY T18
ver mais

O T118 é um fone de ouvido mais acessível da QCY que procura entregar graves mais potentes e uma boa qualidade sonora, graças ao codec Qualcomm Aptx e aos drivers de 10 mm.

Mas será que o dispositivo realmente vale a pena? O desempenho, na prática, atinge as expectativas, já que estamos falando de um dispositivo com especificações tão interessantes? Eu testei o QCY T18 e agora trago a minha opinião sobre os vestíveis, confira:

Prós

  • Bom equilíbrio sonoro
  • Bateria com boa duração
  • Design confortável

Contras

  • Graves perdidos no volume máximo

Design e construção

O QCY T18 tem um visual bem minimalista e agradável. Ele tem o design intra-auricular com ponteiras de silicone que entram no canal auditivo e oferecem um pequeno isolamento do ruído externo. Apesar de não ter ANC, as ponteiras ajudam a diminuir pelo menos um pouco o barulho.

Sua construção é toda em plástico, o que deixa o vestível bem leve e confortável de usar. Mesmo após horas ouvindo música, eu não senti qualquer incômodo com eles nas orelhas, algo que geralmente acontece dependendo do formato ou acabamento do fone que uso.

Em sua parte externa, ele tem uma pequena haste e, em sua parte superior, é possível realizar alguns comandos por toque, como controlar a reprodução ou atender chamadas. Por fim, o T18 também tem proteção IPX5, que garante uma boa resistência contra água caso você queira praticar uma corrida sob a chuva.

Qualidade de som

O QCY T18 conta com drivers de 10 mm e tem o codec Qualcomm aptX. Essas especificações prometem uma boa qualidade sonora e, segundo a marca, os graves bem altos e potentes.

Enquanto usei, no entanto, eu tive uma experiência bem equilibrada. Os graves são, sim, bem presentes, mas não é algo que se destaca tanto em relação às outras frequências. De qualquer forma, é uma boa qualidade sonora para um par de fones de ouvido em um segmento mais acessível.

Ouvindo Shaman, mais especificamente a música Fairy Tale, é possível ouvir as batidas de cada frequência de forma bem separada, principalmente os sons mais graves e agudos.

De qualquer forma, ainda é possível personalizar o efeito sonoro no app QCY e “brincar” mais com as frequências, para deixar a reprodução mais de acordo com o seu gosto.

Por fim, é importante destacar que o volume máximo é bem alto e, quando configurado no limite, as frequências agudas ficam bem mais acentuadas e os graves um pouco mais perdidos. De qualquer forma, nada que atrapalhe tanto a experiência sonora, principalmente se tratando de um dispositivo mais básico.

Bateria e conectividade

A QCY promete que o T18 pode chegar a sete horas de reprodução só com a carga dos buds e 30 horas considerando a bateria extra do estojo. Isso, é claro, depende bastante da forma como você usa o dispositivo, mas, aqui, eu cheguei bem perto dessa média.

No meu teste, defini a qualidade de streaming alta no Spotify e ajustei o volume na metade. A bateria dos fones esgotou após cerca de seis horas de reprodução de músicas no app. Além disso, deixei o Modo Jogo ligado durante o teste, o que pode ter afetado um pouco a reprodução. Dessa forma, estimo que ele possa chegar às sete horas prometidas com um volume mais baixo.

Quanto ao carregamento, cerca de 50 minutos dentro do estojo abastecem completamente a carga dos dois lados do QCY T18.

Em relação à conectividade, ele conta com Bluetooth 5.2, que garante uma boa estabilidade da conexão com o celular e possibilita ficar mais longe do aparelho. É importante frisar, porém, que paredes ou portas podem interferir na distância máxima, mas a média já é maior que muito fone da mesma categoria, que geralmente conta com protocolos mais antigos.

Ficha Técnica

  • Versão do Bluetooth: 5.2;
  • Decodificação de áudio: Qualcomm aptX,;
  • Horas de reprodução: 7 horas;
  • Resposta de frequência: 20Hz ~ 20KHz;
  • Drivers dinâmicos de 10 mm
  • Impedância: 32Ω;
  • Sensibilidade (spl): 106 db;
  • Peso: 4 gramas (cada lado);

Conteúdo da Caixa

  • Par de fones de ouvido
  • Estojo de transporte e carregamento
  • Cabo USB-C para carregamento
  • 2 ponteiras de silicone extra

Concorrentes diretos

A Edifier tem pelo menos duas alternativas ao QCY T18, que estão na mesma faixa de preço e oferecem recursos bem parecidos: o Edifier X3S e o Edifier Hecate GM5. Os três modelos, ou seja, os dois Edifier e o QCY, contam com o codec de áudio Qualcomm aptX e tem conectividade Bluetooth 5.2.

A diferença maior é no driver de áudio: o Edifier X3S é o mais simples e tem drivers dinâmicos de 6 mm, enquanto os do QCY T18 tem 10 mm e o do Hecate GM5 tem 12 mm. O nível de impedância também é diferente. Apenas o GM5 e o T18 têm 32Ω, enquanto o X3S tem 16Ω.

É importante destacar, também, que o design dos modelos da Edifier é um pouco diferente. Enquanto o X3S tem a estrutura intra-auricular com ponteiras de silicone, o GM5 não oferece esse acabamento na ponta e segue a identidade visual dos AirPods 3 da Apple.

Por fim, a faixa de preço é muito parecida: os três ficam na casa dos R$ 200 a R$ 300, sendo que o X3S costuma ser algumas dezenas mais barato do que os outros dois.

Nessa faixa de preço, no entanto, é interessante ficar de olho nas ofertas para o Galaxy Buds 2 da Samsung, que geralmente tem promoções que reduzem seu preço para menos de R$ 300, e o fone oferece recursos mais avançados como Som Ambiente e Cancelamento de Ruído Ativo (ANC).

QCY T18 | Um fone de ouvido simples, mas eficiente

O QCY T18 é um bom fone de ouvido para quem procura custo-benefício. Dentro da categoria de vestíveis mais simples, ele se destaca por oferecer o codec Qualcomm aptX e a conectividade Bluetooth 5.2, que garante uma boa estabilidade da conexão com o celular.

A qualidade sonora é bem equilibrada e, apesar de a marca prometer graves bem acentuados, eu notei que as frequências não se sobressaem uma à outra, e isso é bom para quem prefere ouvir com mais clareza cada instrumento em vez de simplesmente focar mais nas batidas.

A bateria não chega a ser das melhores, mas as seis horas de autonomia para reprodução de músicas já ajuda bastante, assim como as 30 horas totais considerando a carga do estojo de carregamento.

Entre os modelos mais acessíveis, ele está bem equilibrado com os principais concorrentes — especialmente o Edifier Hecate GM5, que está na mesma faixa de preço, mas oferece drivers um pouco mais potentes. Dessa forma, a escolha fica mais entre um design com ponteiras de silicone ou mais clássico, sem esses acessórios.