Por que devemos nos preocupar com pequenos aumentos na temperatura global?

Por Rodilei Morais | Editado por Patrícia Gnipper | 19 de Outubro de 2022 às 11h17

clique para compartilhar

Link copiado!

Quando se fala do aquecimento global, é comum se ver números baixos de aumento de temperatura em determinado período ou região no globo. Para nós, mudanças como um décimo de grau não são perceptíveis, mas cada pequeno acréscimo pode levar a cenários climáticos mais desastrosos no futuro.

Em 2015, praticamente todos os países do mundo assinaram o Acordo de Paris. Neste tratado, as nações se comprometeram a diminuir suas emissões de gases de efeito estufa a fim de limitar o aquecimento global. Foi decidido nele a meta de buscar um aquecimento máximo de 1,5ºC.

Em um passeio na rua, você provavelmente não notaria um aumento de temperatura dessa grandeza, então por que isso importa? O principal motivo é que estes aumentos são na média global de temperatura, ou seja, alguns lugares podem estar acima desse número enquanto outros estão abaixo.

Estima-se que, desde a revolução industrial, a temperatura da Terra já tenha aumentado em cerca de 1,1ºC. Locais como o Ártico, porém, sofreram aumentos maiores até que os 1,5ºC do Acordo de Paris.

O Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) estima que, se a temperatura aumentar mais 2ºC até o final do século, o mundo estará sujeito a cinco vezes mais desastres climáticos. Isso inclui tempestades, enchentes, secas e ondas de calor intensas.

Da mesma forma que o aumento da temperatura não é igual em todas as partes do planeta, as emissões de gases também não são. Embora a maior parte dos países ainda não tenha adequado suas emissões para atingir a meta de 1,5ºC, é notável que os maiores emissores, Estados Unidos e China, estejam longe de cumprir sua parte.

Fonte: Phys.org