Como funciona o míssil hipersônico anunciado pelo Irã?

Por Gustavo Minari | Editado por Douglas Ciriaco | 16 de Novembro de 2022 às 15h29

clique para compartilhar

Link copiado!

O Irã afirma ter construído um míssil hipersônico capaz de penetrar em qualquer sistema de defesa aérea do mundo. Segundo o general Amir Ali Hajizadeh — líder do Exército dos Guardiães da Revolução Islâmica (IRGC) — o armamento pode ser manobrado dentro e fora da atmosfera terrestre.

Outras potências mundiais, como China, Rússia e Coreia do Norte, disseram recentemente que possuem sistemas avançados de mísseis hipersônicos. Os Estados Unidos também já deram indícios de progressos significativos no desenvolvimento desse tipo de armamento.

“Este míssil de alta velocidade terá como alvo principal os sistemas antimísseis mais avançados de nossos inimigos. Eles representam um grande salto geracional no campo de desenvolvimento e na evolução de nossos dispositivos de defesa”, disse o general Hajizadeh numa reportagem da Agência Reuters.

Sem provas

Segundo especialistas, o Irã possui um vasto programa de desenvolvimento de mísseis, mas a construção de uma arma hipersônica requer uma experiência muito mais avançada em comparação com a fabricação de mísseis balísticos convencionais de longo alcance.

Além disso, os militares iranianos não divulgaram nenhuma especificação técnica ou evidência desse provável míssil hipersônico. Eles também não apresentaram nenhum teste do suposto armamento que possa comprovar que o país tenha realmente desenvolvido uma arma tão avançada.

Para a Organização das Nações Unidas, é provável que o Irã esteja exagerando suas capacidades militares para desviar a atenção de seus problemas internos, como os protestos antigovernamentais que já custaram mais de duzentas vidas e renderam mais de mil prisões em todo o país.

Míssil hipersônico

Mísseis hipersônicos são armas estratégicas, capazes de atingir velocidades superiores a Mach 5 (cinco vezes a velocidade do som), ou quase 6.000 km/h. Eles podem realizar manobras complexas, o que os torna altamente difíceis de interceptar pelos sistemas de defesa aérea.

A precisão é outro fator importante em um míssil hipersônico de última geração. Um foguete é geralmente usado para carregar o projétil até um ponto predeterminado e, de lá, ele parte na velocidade estipulada até atingir o alvo estabelecido nas coordenadas.

Outra vantagem desse tipo de armamento é a capacidade de manobrar em pleno voo. Teoricamente, esses mísseis podem mudar de trajetória e se manterem no ar por períodos muito mais curtos, dificultando a ação dos radares e a interceptação antes que eles atinjam seu objetivo, mesmo que o alvo esteja a quilômetros de distância.

Análises

ver tudo