MediaTek Dimensity 9000 supera Snapdragon 8 em teste consumindo menos

MediaTek Dimensity 9000 supera Snapdragon 8 em teste consumindo menos

Por Renan da Silva Dores | Editado por Wallace Moté | 19 de Janeiro de 2022 às 08h00
Reprodução/MediaTek

Em teste realizado pelo canal Geekerwan, o Dimensity 9000 mostra que a plataforma de alto desempenho da MediaTek supera o Snapdragon 8 Gen 1, especialmente em CPU, ao mesmo tempo em que consome menos energia. Ao que parece, a combinação de uma litografia mais densa e avançada, junto a especificações mais encorpadas, são responsáveis por fazer o novo Dimensity entregar até 17% mais performance que o rival da Qualcomm.

Dimensity 9000 supera Snapdragon 8 Gen 1 consumindo menos

As primeiras diferenças entre os chips concorrentes, com vantagem para a MediaTek, surgem antes mesmos dos testes, ao observamos a ficha técnica de cada plataforma. O Dimensity 9000 é equipado com 8 núcleos da nova arquitetura ARMv9 em uma configuração de 1 + 3 + 4, sendo 1 Cortex-X2 de máxima performance a 3,05 GHz, 3 Cortex-A710 de alto desempenho a 2,85 GHz e 4 Cortex-A510 de baixo consumo a 1,8 GHz.

Há 8 MB de cache L3, junto a 6 MB de cache de sistema, responsáveis por reduzir o número de vezes que o processador precisa acessar a memória RAM para buscar por instruções, o que diminui o consumo e aprimora o desempenho. Completando o pacote, o Dimensity 9000 é o primeiro chip fabricado pela TSMC com o processo N4 de 4 nm.

As vantagens do Dimensity 9000 começam na ficha técnica, que traz clocks mais altos, maior quantidade de cache e litografia de 4 nm da TSMC (Imagem: Geekerwan/YouTube)

O Snapdragon 8 Gen 1 emprega especificações semelhantes, mas com alguns cortes marcantes. O componente da Qualcomm traz 8 dos novos núcleos ARMv9 em configuração 1 + 3 + 4, sendo 1 Cortex-X2 a 3,0 GHz, 3 Cortex-A710 a 2,5 GHz e 4 Cortex-A510 a 1,8 GHz. Há ainda 6 MB de cache L3 e 4 MB de cache do sistema, e processo de fabricação de 4 nm, mas desta vez sob responsabilidade da Samsung, no processo de 4 nm EUV.

A plataforma da Qualcomm tem velocidades mais baixas, menos cache e utiliza litografia de menor densidade, menos eficiente — a Samsung é reconhecida pelos processos de fabricação que comportam menos transistores por mm² em comparação à TSMC, o que, na prática, resulta em menos desempenho e maiores consumo e aquecimento.

A solução da MediaTek é até 17% mais potente em CPU que o Snapdragon 8 Gen 1, ao mesmo tempo em que consome 16% menos energia (Imagem: Geekerwan/YouTube)

Os testes comprovam o que as fichas técnicas indicam: no Geekbench 5, por exemplo, o chip da MediaTek tem desempenho equivalente em single-core, marcando 1.287 pontos, contra 1.200, mas é até 17% mais potente em multi-core ao ser comparado com o Snapdragon, entregando respeitáveis 4.474 pontos, contra apenas 3.810 pontos.

Os dois ainda estão modestamente distantes dos componentes da Apple, tidos como os mais poderosos do mercado, mas a diferença é a menor em anos. Fora isso, mesmo com as vantagens marcantes, o Dimensity 9000 consome menos energia que o Snapdragon 8 Gen 1. São 3,5 W em single-core e 9,8 W em multi-core, 16% e 12% menos energia que os 4,2 W e 11,2 W consumidos pelo componente da Qualcomm, respectivamente.

GPU empolga menos, mas é bem mais eficiente

Geekerwan também avaliou as diferenças entre GPUs e, ainda que haja vantagens de desempenho para a Adreno 730 do Snapdragon, a Mali G710 MC10, de 10 núcleos, mostra-se competitiva e significativamente mais eficiente. O primeiro teste foi realizado no benchmark GFXBench Aztec Ruin, em que a solução da Qualcomm se sai melhor ao atingir 115 FPS, contra 110 do componente da MediaTek, em 1080P.

A situação surpreendentemente muda de figura ao se passar para 1440P, em que os processadores estão basicamente empatados, com 43 FPS e 42 FPS, respectivamente. A parte mais interessante é que as vantagens de eficiência energética da MediaTek são mantidas, consumindo 8,2 W durante o teste, quase 30% menos energia em comparação aos 11,2 W do Snapdragon 8 Gen 1.

O Dimensity 9000 mantém alto desempenho por mais tempo, e consome menos energia que o Snapdragon 8 Gen 1 mesmo em games como Genshin Impact (Imagem: Geekerwan/YouTube)

Ainda mais impressionante é o fato de que o consumo e o desempenho nesse cenário são idênticos ao do A14 Bionic, grande feito quando consideramos a vantagem que a Apple costumava ter até o ano passado, bem como a enorme evolução apresentada pelo Dimensity 9000 frente às gerações anteriores.

O YouTuber também comparou os chipsets em um cenário real, ao analisar o desempenho das plataformas em partidas de Genshin Impact, reconhecidamente pesado nos smartphones. A Mali G710 surpreende por manter taxa de 60 FPS por mais tempo antes de enfrentar gargalos térmicos e reduzir o número de quadros: 6 minutos, contra apenas 3 da Adreno 730.

Em compensação, o Snapdragon 8 Gen 1 mostra-se mais estável quando o aquecimento afeta os resultados, entregando média de 55 FPS, contra 48 FPS do Dimensity. No entanto, a vantagem da Qualcomm é mais uma vez obtida aos custos do consumo, que mostra pico de 7,5 W e se estabiliza em 6,3 W, contra pico de 6,8 W e média de 5,7 W do concorrente, 10% menos energia no componente da MediaTek.

É importante notar que o celular utilizado para testar o Dimensity 9000 é apenas uma Engineering Sample (ES), unidade especial de testes da MediaTek feita para otimizar o chipset. Assim sendo, precisamos esperar até que os primeiros celulares com a plataforma sejam lançados, e testes em modelos comerciais possam ser feitos.

Fonte: Geekerwan, NotebookCheck

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.