Starliner apresenta falhas de propulsão, mas segue viagem à ISS

Por Danielle Cassita | Editado por Rafael Rigues | 20 de Maio de 2022 às 12h30

clique para compartilhar

Link copiado!

Tudo sobre NASA
ver mais

Falhas de propulsão marcaram o início da jornada da cápsula Starliner, que viaja rumo à Estação Espacial Internacional (ISS) durante a missão Orbital Test Flight 2 (OFT-2). Dois propulsores responsáveis pelas manobras orbitais falharam por motivos que, por enquanto, são desconhecidos. De acordo com informações dos oficiais da NASA, o incidente não deverá prejudicar a missão.

A OFT-2 foi lançada por um foguete Atlas V, da United Launch Alliance, durante a noite de quinta-feira (19). Em uma coletiva de imprensa realizada após o lançamento, Steve Stitch, da NASA, elogiou o desempenho da Starliner durante o voo. “Hoje foi um grande dia para o Commercial Crew Program”, disse, em referência ao programa homônimo da NASA voltado para contratos com empresas privadas, para levar astronautas dos Estados Unidos à estação.

Entretanto, ele ressaltou também que foram observadas duas anomalias que estavam sendo investigadas por engenheiros. A primeira delas envolveu dois propulsores de um total de 12, responsáveis por manobras orbitais e controle de atitude: eles foram acionados, mas pararam de funcionar subitamente e forçaram um terceiro a operar. Já a segunda estava relacionada a um sublimador (componente que resfria a nave), que demorou para iniciar seu funcionamento.

Mark Nappi, vice-presidente e gerente de Commercial Crew Program na Boeing, destacou que, apesar das falhas, o sistema foi projetado para ser redudante e funcionou como o esperado. “Agora, a equipe está trabalhando no ‘porquê’, para entender o motivo pelo qual estas anomalias aconteceram”, explicou. Ele enfatizou também que o problema não exigia solução antes do fim da missão.

Durante sua fala, Stitch mencionou que a Starliner realizou uma nova queima de seus propulsores, que a colocou na rota para as manobras com a estação. “A segunda queima que realizamos usou aquele terceiro propulsor, que funcionou bem por toda a queima”, comentou ele. “Agora, precisamos passar por mais algumas avaliações e ver se descobrimos o porquê de somente aqueles dois propulsores não completarem a queima de inserção orbital”, finalizou.

A Starliner deverá chegar à ISS por volta das 20h10 (horário de Brasília) desta sexta-feira (20), levando mais de 200 kg de cargas ao laboratório orbital. A bordo dela, está o manequim Rosie the Rocketeer, a “tripulante” encarregada da tarefa de coletar dados de voo com sensores para as equipes da Boeing e NASA entenderem o que os astronautas podem experimentar durante o voo. “Todos nós estamos com um pouco de inveja da Rosie”, brincou Mike Fincke, astronauta da NASA que deverá participar de uma das primeiras missões tripuladas da Starliner.

Fonte: Via: AFP, Space.com