Júpiter e Urano serão os destinos da missão chinesa Tianwen-4

Júpiter e Urano serão os destinos da missão chinesa Tianwen-4

Por Danielle Cassita | Editado por Patrícia Gnipper | 23 de Setembro de 2022 às 12h25
NASA, ESA, Hubble, OPAL Program, STScI/K.Masztalerz

A China planeja lançar uma dupla de naves com destino a Júpiter e Urano em meados da próxima década. O projeto foi divulgado por Wang Qiong, do Centro de Exploração Lunar e Engenharia Espacial na agência espacial chinesa CNSA. Em sua fala no Congresso Astronáutico Internacional (IAC), Qiong descreveu que esta missão se chamará Tianwen-4.

Qiong explicou que a nave principal vai estudar Júpiter e seu sistema, e entrará em órbita ao redor da lua Calisto para estudá-la. Já a menor fará uma viagem mais longa com destino a Urano, e pode aproveitar para sobrevoar algum asteroide. “Os objetivos científicos ainda estão em análise”, disse ele, após sua apresentação no IAC.

As luas Io, Europa, Ganimedes e Calisto, de Júpiter, são conhecidas como "luas galileanas" (Imagem: Reprodução/NASA/JPL/DLR)

Segundo ele, as naves serão lançadas com um foguete Long March 5, o mais potente da família Long March. Com a ajuda de sobrevoos por Vênus e pela Terra, elas vão seguir juntas rumo ao Sistema Solar externo (onde ficam os planetas gigantes e suas respectivas luas), antes de se separarem e irem rumo aos seus alvos.

A China já havia sinalizado planos para enviar uma missão a Júpiter. Antes, o país pareceu ter planos para estudar a lua Calisto como alvo principal, para entender melhor este satélite natural de Júpiter e a história do sistema do gigante gasoso. Outra possibilidade seria investigar as luas irregulares do planeta, que poderiam revelar mais sobre a "juventude" do Sistema Solar.

Wang ressaltou que esta e demais missões da série Tianwen, junto dos planos de construção da estação de pesquisa International Lunar Research Station na próxima década, “são objetivos que promovem o uso dos recursos humanos para criar um novo padrão de colaboração internacional na exploração espacial, para fazer contribuições do uso pacífico do espaço”.

Fonte: Space.com

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.