10 melhores animes baseados em jogos

10 melhores animes baseados em jogos

Por Durval Ramos | Editado por Jones Oliveira | 16 de Setembro de 2022 às 19h30
Netflix, Toei Animation

A estreia de Cyberpunk: Mercenários na Netflix trouxe à tona a relação quase umbilical que jogos e animes sempre tiveram. E não apenas pela forte base que as duas mídias têm com o Japão, mas pelo simples fato de não serem poucas as vezes em que esses formatos andaram lado a lado.

É o caso da nova animação, que expande o universo do game Cyberpunk 2077, apresentando novos personagens e mostrando um lado que não é tão explorado nos videogames. E são vários os animes que seguem por esse mesmo caminho.

Na verdade, essa relação entre jogos e animes é bem versátil. Há aquelas adaptações que são literalmente uma transposição do game para as telas, como acontece com a série Persona ou com a recente The World Ends With You. Só que mais interessante ainda é quando vemos o desenho pegar personagens, mundos ou mesmo conceitos mais amplos e irem além.

E o lado bom é que existe uma enorme variedade de títulos que fazem isso, englobando diferentes gêneros. Assim, seja lá o que você joga ou o que gosta de assistir, com certeza vai encontrar algo que seja a sua cara nesta lista dos melhores animes baseados em jogos.

10. Pokémon

Não podemos abrir nossa lista sem citar um dos animes mais famosos e longevos do mundo e um dos grandes responsáveis por estabelecer essa relação entre games e animações. Pokémon é a prova do quanto essa parceria pode dar certo e ser lucrativa — ainda mais quando você tem uma infinidade de personagens que podem virar bonecos.

O curioso é que, depois de tanto tempo presente em nosso imaginário, já há toda uma geração que não sabe que Pokémon nasceu nos jogos para, apenas depois, virar anime. A ideia da Nintendo foi lançar uma animação para ajudar a promover os games, principalmente fora fo Japão.

E a coisa deu tão certo que a franquia se tornou um colosso. O sucesso foi enorme, a ponto de Pikachu e companhia se tornarem fenômenos culturais que, quase 30 anos depois, seguem relevantes — e Ash ainda tenta ser um Mestre Pokémon.

Pokémon está disponível na Netflix.

9. Digimon Adventure

Com o sucesso de Pokémon, era óbvio que outros jogos que também tinham bichinhos vieram na cola para tentar surfar na poké-mania. É o caso de Digimon, que foi visto por muito tempo como a “cópia” mais famosa dos monstrinhos da Nintendo.

Essa é uma afirmação um tanto quanto contestável, pois há toda uma discussão sobre quem veio antes, já que os Digimon são derivações dos velhos bichinhos virtuais que antecedem Pikachu e companhia. Contudo, a transformação disso nos monstros digitais realmente veio na sequência de Pokémon.

E, ao contrário do seu primo mais famoso, Digimon nunca tentou se apegar a uma única e longa história sendo contada ao longo dos anos. A estratégia aqui foi lançar várias versões que vão apresentando novos personagens, tramas e criaturas. Ainda assim, a temporada mais clássica é a primeira, seja por ter apresentado todo esse universo ao público ou por ter sido imortalizada por uma música-chiclete da Angélica.

Digimon Adventure está disponível no Globoplay. Mais recentemente, o anime ganhou um reboot, que está disponível no Crunchyroll.

8. Sonic X

Outro ícone dos jogos que se aventurou no mundo dos animes é o bom e velho Sonic. Na verdade, o ouriço azul ganhou várias adaptações em animação, incluindo algumas bem recentes em computação gráfica. Contudo, é em Sonic X que o estilo oriental está mais presente.

Lançado no início dos anos 2000, o anime leva Sonic e seus amigos para o mundo dos humanos e o herói faz amizade com um adolescente japonês, que passa a ajudá-lo na luta contra o Dr. Robotnik. E apesar de todas as liberdades criativas, o desenho conseguiu reproduzir vários arcos introduzidos nos games, como a origem de Shadow — o que deve ser aproveitado também no cinema em breve.

Sonic X está disponível na Netflix e no Prime Video.

7. Dota: Dragon’s Blood

A Netflix viu que existe um enorme interesse na adaptação de games famosos e não demorou para que passasse a caçar franquias que pudessem gerar boas histórias — e Dota: Dragon’s Blood é fruto disso.

O anime se aproveita do universo medieval fantástico da série para contar a história de um cavaleiro que precisa dominar o poder de um lendário dragão e derrotar um demônio que ameaça a humanidade. Uma aventura clássica, mas que funciona bastante graças à riqueza de elementos presentes em Dota.

Dota: Dragon’s Blood está disponível na Netflix.

6. Dragon’s Dogma

Outra história de cavaleiro, dragões e poderes ocultos, Dragon’s Dogma é fruto de uma parceria entre a Netflix e a Capcom para tentar renovar o interesse do público no game, que não foi um grande sucesso quando foi lançado e ganhou os holofotes mais uma vez recentemente ao ter tido sua sequência anunciada.

E o anime é uma ótima forma de conhecer um pouco da franquia — até porque ela tem algumas reviravoltas bem curiosas. A história começa quando o herói é morto por um dragão e, de alguma forma, volta à vida graças a poderes mágicos que vão além de sua compreensão. Com isso, ele retorna com a missão de destruir o monstro que acabou com sua vida.

Dragon’s Dogma está disponível na Netflix.

5. Tekken: Bloodline

Ao lado de Street Fighter, Tekken é uma das franquias de jogos mais famosas dos videogames e até demorou para que o clássico da Bandai Namco ganhasse um anime de respeito. O recente Tekken: Bloodline faz um ótimo trabalho em resumir a confusa cronologia da saga e foca sua atenção tanto na trama de vingança da família Mishima e na galeria bastante icônica de personagens.

A temporada é centrada em Jin, um jovem que perde sua família após o ataque de um estranho monstro que está em busca do poder que ele esconde dentro de si. Em busca de vingança, o rapaz procura seu avô, o lendário Heihachi. O problema é que o velho esconde alguns segredos bastante demoníacos que vão colocar em xeque não só o futuro da família, mas do próprio mundo.

Tekken: Bloodline está disponível na Netflix.

4. Street Fighter II: Victory

Street Fighter é sinônimo de jogos de luta e um dos grandes ícones dos videogames — então era óbvio que os animes iriam querer aproveitar esse sucesso e levar a história de Ryu e Ken também para as telas.

Das várias adaptações que a série recebeu, Street Fighter II: Victory é uma das mais lembradas e amadas pelo público. Apesar de trazer um visual bem diferente daquele que os jogos apresentaram — Ryu nem sequer usa a faixa vermelha na cabeça —, a ideia de contar a origem dos personagens funcionou muito bem e ajudou a construir a mitologia em torno da série. E isso foi crucial, ainda mais levando em conta que a cronologia dos games é um caos.

O anime chegou a ser exibido no Brasil em meados dos anos 1990, quando Street Fighter II era um fenômeno nos fliperamas, o que ajudou Victory a se tornar um sucesso ainda maior. Se você tem mais de 30 anos, com certeza fez o movimento dos braços para tentar canalizar um Hadouken.

Street Fighter II: Victory está disponível no Prime Video.

3. Devil May Cry

A Capcom é um dos estúdios que mais abraçou os animes como forma de expandir a popularidade dos seus games. Além de Street Fighter e Dragon’s Dogma, a produtora também investiu na criação de uma animação focada no clássico Devil May Cry.

Lançado em 2007, o desenho focava em um lado mais desbocado do herói Dante e muito mais centrado na personalidade que ele apresenta no terceiro game da franquia. E embora não tenha conseguido replicar o sucesso dos jogos, a adaptação conseguiu trabalhar bem a história do caçador de demônios que é filho de um dos reis do inferno — e como essa herança maldita faz dele um alvo de tudo o que há de ruim no mundo.

Devil May Cry está disponível no Prime Video.

2. Dragon Quest: As Aventuras de Dai

Quando o Brasil viu a invasão dos animes na TV, em meados dos anos 1990, o desenho Fly: O Pequeno Guerreiro se tornou um sucesso tanto por causa das semelhanças com Dragon Ball quanto pelo próprio tom aventuresco que a trama apresentava — além da música que grudava na cabeça. O que pouca gente sabia na época é que a animação era a adaptação de uma das séries mais icônicas dos games.

Fly foi o nome dado aqui no Ocidente para o anime de Dragon Quest, uma das maiores franquias de RPG de todo o mundo. E a animação deu tão certo que o próprio Dai (o nome original do personagem) se tornou tão grande quanto o jogo que lhe deu origem a ponto que a Square Enix criar um game apenas para aquela história.

De quebra, o anime também ganhou um reboot recente que reconta a história do clássico, além de modernizar algumas questões — mas sem a musiquinha.

Dragon Quest: As Aventuras de Dai está disponível na HBO Max e no Crunchyroll.

1. Castlevania

De todos os jogos que a Netflix transformou em anime, nenhum foi tão bem-sucedido quanto Castlevania. E não apenas pelo fato de o game ser um dos mais tradicionais e amados de todos os tempos, mas porque o trabalho do streaming em recriar o universo gótico foi muito bem feito e atento a todos os detalhes, do jeito que os fãs gostam.

A trama é centrada na guerra que a família de caçadores de vampiros Belmont trava com Drácula. Só que essa rivalidade vai muito além de ser só uma tentativa de livrar o mundo do mal personificado no lorde das trevas e passa por tretas familiares e traumas do passado que reverberam por gerações.

Castlevania está disponível na Netflix.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.