Trend bizarra do TikTok obriga Kindle mudar política de reembolso

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 26 de Setembro de 2022 às 11h26

clique para compartilhar

Link copiado!

Tudo sobre TikTok
ver mais

Uma trend do TikTok obrigou a loja do Kindle a mudar sua política de reembolso para evitar prejuízos. Vídeos curtos recomendavam aos usuários comprar livros, ler rapidamente e pedir o reembolso antes do fim do prazo. Os autores criaram a campanha #AmazonIsNotALibrary (Amazon não é uma biblioteca, em português) e os apelos parecem ter dado certo.

A pior parte é que os livros devolvidos eram cobrados do autor, que precisava arcar com uma taxa cobrada pelo Kindle. Além de não ganharem pelo livro vendido, ainda ficavam devendo quantias imensas para a loja virtual no fim do dia — tudo isso feito por "supostos fãs" de suas obras.

A prática obviamente prejudica os autores, que perdem meses ou anos produzindo livros para não receberem um centavo pelo trabalho. Essa atitude criminosa já não pode mais ser realizada porque a Amazon alterou as regras para impedir os espertinhos.

Kindle muda política de reembolso

Todo livro que tiver 10% ou mais de leitura não poderá ter o valor reembolsado. Se você comprou um livro, deverá se arrepender logo nas primeiras páginas, caso contrário deverá ficar com ele para sempre. É uma política que vai prejudicar os leitores genuínos, que podem não ter gostado do meio do livro, mas necessária para coibir abusos dos engraçadinhos.

Não dá problema de ir à biblioteca e ler seus livros favoritos por lá, afinal este é o propósito do local. Há também vários aplicativos que oferecem essa opção, desde os gratuitos até as assinaturas mensais. Mas isso não pode ser feito no mercado da Amazon, pois lá há a incidência de taxas: a devolução de obras faz com que alguém precise pagar a conta — o autor, nesse caso.

Infelizmente, muitas tendências do TikTok, do Instagram e do Twitter visam o lado negativo das coisas, por isso medidas como essa acabam sendo necessárias. Seria tão melhor se as pessoas se concentrassem em criar virais positivos, ensinando as pessoas a fazer coisas justas e honestas do que focando em métodos de burlar o sistema.